Citroen desiste do C-Elysée e e-Méhari

Fim da linha para os dois modelos, embora por razões distintas

0 aos 100 07/01/2019 Noticias

O C-Elysée e o e-Méhari (não comercializado em Portugal) são as próximas vítimas da reformulação da gama Citroen, que ditou o desaparecimento das berlinas C4, C5 e dos Picasso (atualmente SpaceTourer).

O objetivo é simples, apenas ter modelos lucrativos, algo que o elétrico e-Méhari nunca o conseguiu ser, sendo que apenas foram vendidas 228 unidades em 2018, em França. O objetivo inicial era comercializar cerca de mil unidades/ano.

Já o C-Elysée conta com seis anos de mercado (foi lançado em 2013) e não tem substituto anunciado. O melhor ano de vendas foi em 2017, com 15.620 unidades comercializadas (segundo dados da Jato Dynamics) na Europa. Em 2018, apenas foram vendidas 1692 unidades em França, uma quebra de 19,5 por cento.

Veja ainda:

A gama de ligeiros de passageiros da Citroen passará a estar alicerçada no C1, C3 e C4 Cactus e nos SUV C3 Aircross e C5 Aircross, mantendo para já o monovolume C4 SpaceTourer.

Deixe o seu comentário