Motociclistas em protesto contra inspeções

Veículos de duas rodas passam a ir à inspeção a partir de 1 de janeiro

0 aos 100 16/10/2021 Noticias

Lisboa, Porto, Coimbra, Faro, Funchal e Porto Santo foram este sábado palco de manifestações de motociclistas contra a imposição de inspeções obrigatórias nos motociclos a partir de janeiro de 2022.

Em declarações à Lusa, António Manuel Francisco, do Grupo de Ação Motociclista (GAM), considerou que o Governo está “simplesmente a prestar um serviço a um setor privado, que é o das inspeções” e a obrigar os motociclistas a “suportar um negócio”, refutando a argumentação de uma promoção da segurança rodoviária e do combate à sinistralidade.

Veja ainda:

“Qualquer medida referente a veículos terá de ter como prioridade a segurança rodoviária e a prevenção do risco de acidentes. E o que nos dizem todos os estudos feitos até agora é que as falhas mecânicas praticamente não significam nada em termos de causas de acidentes. Significam nas motos 0,3%”, afirmou, destacando como principais riscos para a sinistralidade nas motos o fator humano e as infraestruturas.

Na origem desta questão está uma diretiva europeia de 2014 cujo prazo de transposição para a legislação nacional acaba no final de 2021, estando em causa a inspeção periódica obrigatória (IPO) para os veículos com uma cilindrada superior a 125 centímetros cúbicos.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Toyota Yaris 1.5 híbrido. Espécie evoluída
Pub