Miguel Oliveira e o resultado no GP de Aragão: 'Tem a ver com a configuração da mota'

Português terminou em 14º lugar e somou mais 2 pontos para.o campeonato

0 aos 100 12/09/2021 Desporto

Miguel Oliveira reconheceu que o Grande Prémio de Aragão em MotoGP foi uma "corrida dura", apontando dificuldades com o trem dianteiro da sua KTM para o 14º lugar final, o que lhe permitiu, ainda assim, somar mais dois pontos para o campeonato.

O piloto português arrancou da 18.ª posição, chegou a estar em 13.º, mas acabaria por estacionar em 14.º, numa corrida em que a pressão do pneu dianteiro estava “muito acima do normal”, afetando o desempenho ideal.

“Tem a ver com a configuração da mota. Corri com muito mais pressão do que o [sul-africano] Brad [Binder, seu companheiro de equipa]", explicou o piloto de Almada, em conferência de imprensa, citado pela Agência Lusa.

"Temos de ver o que pode ser solução para ultrapassar este problema. Só reparámos depois da corrida. Quando corri, senti que algo não estava correto com a frente”, sublinhou o piloto português, garantindo que "a equipa está a trabalhar de forma intensa".

"Estou a trabalhar de forma intensa e tenho a certeza que vamos encontrar a solução. Misano é uma pista desafiante mas gosto da mesma e esperamos poder lá conseguir um bom resultado", apontou. 

A vitória foi para o italiano Francesco Bagnaia (Ducati), que bateu os espanhóis Marc Marquez (Honda), por 0,673 segundos, e Joan Mir (Suzuki), por 3,911.

A próxima prova do Mundial de motociclismo de velocidade será o Grande Prémio de São Marino, dentro de uma semana.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Pub
Toyota Yaris 1.5 híbrido. Espécie evoluída