Selo do carro sobe com a inflação

Adicional ao IUC que recai sobre os automóveis com motores a diesel mantém-se também

0 aos 100 16/12/2019 Noticias

O Imposto Único de Circulação (IUC) vai ficar mais caro a partir do próximo ano. Na proposta de Orçamento do Estado para 2020, o Governo decidiu atualizar as tabelas de imposto à inflação, de cerca de 0,3%, agravando os custos para os proprietário. 

Tanto as tabelas utilizadas para o valor do “selo do carro” nas matrículas antes de 2007, como as matrículas posteriores a essa data, que apresentam valores bem mais elevados, são agravadas da mesma forma.

Veja ainda:

A título de exemplo, um veículo a gasolina com até 1.250 cc passará a pagar uma taxa de 29,39 euros pela componente da cilindrada, acima dos 29,30 euros atuais. No caso da componente de CO2, considerando a emissão até 120 gramas por quilómetro, o valor passa de 60,10 para 60,28 euros. Os coeficientes de idade, não se alteram, mantendo-se em 1,15.

Ao mesmo tempo que se atualizam as tabelas à inflação, mantém-se o adicional ao IUC. Este “extra”, criado no OE de 2014, volta a figurar no Orçamento do Estado, sendo aplicado aos veículos a gasóleo. “Mantém-se em vigor em 2020 o adicional de IUC”, refere o documento. Este custo adicional vai dos pouco mais de 5 aos 68,85 euros.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Ensaio ao Mazda3 1.8 Skyactiv-D 116cv Evolve: Direto ao topo
Peugeot 508 2.0 HDi 160cv GT Line: Grande 'espada'