Alfa Romeo Tonale: SUV, híbrido Plug-in e absolutamente escultural

Alfa Romeo acaba de abrir a porta da eletrificação, com o protótipo Tonale, um híbrido plug-in, capaz de percorrer 50 km em modo elétrico

0 aos 100 05/03/2019 Noticias

O irmão pequeno do Stelvio é apresentado pela Alfa Romeo como “o primeiro híbrido plug-in e o primeiro SUV de dimensões médias da Alfa Romeo”. Está equipado com uma mecânica híbrida plug-in, capaz de percorrer 50 km em modo exclusivamente elétrico.

A Alfa Romeo descreve-o como “um SUV de dimensões médias de vocação urbana e personalidade atlética”. As jantes, por exemplo, representam um disco de marcação telefónica. “A linhagem das jantes em forma de disco de telefone remonta aos anos de 1960, utilizada orgulhosamente pelo icónico 33 Stradale”, explica a marca italiana.

Os volumes da lateral da carroçaria são uma alusão ao Duetto e do Disco Volante Spider, enquanto a "Linea GT" do Tonale “interpreta a tensão e a confiança da vigorosa postura do tão apreciado GT Junior”. A frente ostenta a assinatura "Trilobo" da Alfa Romeo e a inconfundível grelha "Scudetto" que serve como ponto central de força, orientando a velocidade e a fluidez que se move ao longo do Tonale.

Ao lado do icónico "Scudetto" e completando a frente monográfica, estão as luzes dianteiras "3 mais 3" que evocam o olhar espelhado do SZ e do Brera. A traseira remete para o Stelvio. 

O interior é muito orientado para o condutor, com um painel de instrumentos feito com um ecrã de 12,1 polegadas e um ecrã de 10,23 polegadas na consola central, sensível ao toque. Este servirá um novo sistema de info entretenimento que a FCA está a desenvolver.

“O Alfa Romeo Tonale é o nosso olhar sobre o futuro do segmento CUV, criando uma expressão criativa holística através da combinação de beleza e tecnologia. Para o Design Alfa Romeo, é a nossa "opera d'arte", a nossa obra de arte... ou, expresso de outro modo, o nosso Alfa Romeo Tonale”, sublinha a Alfa Romeo.

Relacionadas:

Quanto à mecânica, o sistema híbrido Plug-in que estará presente no Jeep Renegade, por exemplo, deverá debitar 240cv. O modo Dynamic do DNA desaparecerá para dar lugar ao modo “Dual Power” (manter-se-á como DNA o sistema de modos de condução) que tirará o melhor do sistema híbrido, com o motor térmico e o motor elétrico a oferecerem a melhor performance.

O ecrã tátil de informação e entretenimento apresenta um botão E-mozione, que oferece programação do acelerador específica, travagem mais incisiva e resposta mais direta da direção.

Já o modo "Natural" continua a manter a otimização das performances, sendo o compromisso entre a utilização dos motores elétrico e de combustão interna gerido automaticamente. Isto traduz-se em poupança diária de energia e de combustível, mas sem prejudicar as performances. Por último, o modo "Advance Efficiency" torna-se "Advance E" para otimizar as performances em modo completamente elétrico.

O nome Tonale é uma referência à “Passagem de Tonale”, que fica não muito longe do Desfiladeiro de Stelvio, nos Alpes, um grande anfiteatro natural famoso pelos seus majestosos picos. O Tonale representa um importante desenvolvimento sob o signo da continuidade e da proximidade geográfica, uma evolução traçada ao longo do tempo numa sugestiva associação.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

DS 3 Crossback BlueHDi 100. A virtude de ser diferente
Ensaio ao Renault Clio RS Line TCe 130 EDC: Faceta desportiva