Falta reparar 17 mil TDI 'fraudulentos' em Portugal

Três anos depois de ter rebentado o escândalo da manipulação de emissões, portugueses ainda têm milhares de automóveis por reparar

0 aos 100 12/01/2019 Noticias

Dos 125 mil automóveis a circular em Portugal envolvidos no caso de manipulação das emissões poluentes pelo Grupo Volkswagen, mais de 18.700 automóveis ainda não foram “reparados”.

A revelação foi feita pelo Ministério da Economia ao Jornal Económico, com base nos dados do Instituto de Mobilidade e de Transporte (IMT) relativos ao último trimestre de 2018.

A reparação dos carros afetados pelo Dieselgate em Portugal é obrigatória. Os carros que não forem reparados serão impedidos de circular nas estradas portuguesas.

"Os veículos para os quais já exista solução técnica aprovada pelo KBA [regulador alemão] e que, sendo notificados para a acção de reposição da conformidade, não sejam submetidos à reposição da conformidade" nos prazos fixados "serão considerados em situação irregular", afirmou fonte oficial do IMT.

Das quatro marcas do Grupo VW afetadas pelo denominado ‘dieselgate’, a Audi é a que tem a percentagem mais elevada de intervenções já realizadas no país (89,5%), seguida da Volkswagen (87,2%), da Seat (79%) e da Skoda (78,4%).

Relacionadas:

A Volkswagen foi a marca com mais automóveis afetados pelo escândalo da manipulação das emissões poluentes no mercado nacional (57.898 veículos), seguida da Audi (35.846), da Seat (23.188) e da Skoda (8317).

Em Setembro de 2015 rebentou o escândalo da manipulação de emissões poluentes pela Volkswagen, estimando-se que em todo o mundo tenham sido afectados 11 milhões de veículos pela fraude cometida pelo grupo, dos quais oito milhões na Europa.

O caso conhecido como "Dieselgate" levou o grupo a atualizar o software dos motores diesel em todas as suas marcas.

Deixe o seu comentário