Dodge desenvolveu em segredo um Viper de motor central

Projeto esteve guardado por mais de 20 anos. Na década de 90, uma equipa de engenheiros desenvolveu por duas ocasiões distintas um Viper de motor central traseiro, embora em ambos os casos os responsáveis da Dodge tenham descartado o projeto

0 aos 100 16/12/2018 Curiosidades

Não há nada mais interessante do que descobrir um projeto secreto que ficou “enterrado” por décadas, o que geralmente é o caso dos arquivos de uma grande empresa, como a automóvel. Esta não é a primeira vez que nos deparamos com um projeto tão marcante e estranho, mas por se tratar de um desportivo ganha maior relevância.

O projeto foi “desenterrado” por Hagerty com a colaboração de Chris Theodore, que na época era o diretor geral da divisão de engenharia para plataformas de pequenos veículos, ou o que nos Estados Unidos era considerado “pequeno” na época, da Dodge.

Segundo conta a Hagerty, em 1996, uma série de engenheiros da Dodge criou um desenho CAD e dois modelos à escala para perceber quantos elementos da primeira geração do Dodge Viper poderiam ser usados numa nova geração do modelo, mas com configuração de motor central – recorde-se que o Viper sempre teve motor dianteiro.

O resultado foi uma espécie de réplica da primeira geração do desportivo americano, mas com proporções bastante estranhas, precisamente devido à mudança da posição do motor.

O objetivo não era outro senão tentar realizar o projeto com um impacto económico mínimo, utilizando todos os elementos possíveis da primeira geração do modelo, incluindo o “mastodôntico” V10 de 8.0 litros e 323 kg.

Relacionadas:

Segundo o relatório Hagerty, foram montados dois protótipos completos, que incluíam chassis e painéis da carroçaria, assim como todos os elementos da estrutura e, claro, a enorme mecânica atmosférica. Foi então apresentado ao conselho de administração da Chrysler, uma vez que o desenvolvimento do projeto tinha sido totalmente secreto e sem o conhecimento ou aprovação do conselho de administração.

De facto, nem mesmo o chefe de design do Grupo Chrysler, na época Tom Gale, estava a par do projeto. E talvez por esse motivo não foi bem acolhido pelos responsáveis, que não apoiaram o projeto.

Apesar do revés inicial, um par de anos mais tarde, os mesmos engenheiros voltaram a tentar, mas o projeto foi colocado em espera depois da fusão entre a Daimler e a Chrysler fem 1998. O projecto acabou por ir parar a uma gaveta e não tinha visto a luz do dia até hoje.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

DS 3 Crossback BlueHDi 100. A virtude de ser diferente
Ensaio ao Renault Clio RS Line TCe 130 EDC: Faceta desportiva