Este é o elétrico que vai custar 7.300 euros

K-ZE será muito provavelmente a base do eléctrico que a Renault pretende lançar em 2020, por cerca de um quarto do que é exigido por um Zoe

0 aos 100 02/10/2018 Noticias

A Renault apresentou um novo automóvel elétrico, global e acessível, o K-ZE. O veículo foi apresentado pelo CEO Carlos Ghosn, em Paris, e promete ser o carro 100 por cento elétrico com o melhor custo benefício.

O K-ZE, que tem por base o Kwid, um compacto comercializado em mercados emergentes, como o Brasil, por exemplo, é o anunciado elétrico da Renault que vai custar 7.300 euros, cerca de um quarto do que é exigido por um Zoe.

Será inicialmente fabricado na China, onde estreia em 2019 para depois ser lançado em vários mercados. "Será global em três anos. É uma plataforma global, um modelo que será acessível, que pode entrar em qualquer mercado, na Europa, em mercados em desenvolvimento", promete Carlos Ghosn.

Relacionadas:

O segredo para conseguir um elétrico por menos de 10 mil euros (antes de impostos e, para já, apenas nos mercados emergente) passa pela redução dos custos das baterias, que todos anos cortam uma fatia ao preço por kWh, a que se junta um veículo mais simples – e produzido em países onde a mão-de-obra tem custos inferiores, como a Índia, China ou Brasil – e com menos equipamento, associado a uma produção em massa para, mais uma vez, torná-lo mais acessível.

Sobre a mecânica, a Renault adiantou apenas que terá uma autonomia de 250 km (em ciclo NEDC) e que o sistema de carregamento é compatível com tomadas domésticas e infraestruturas de carregamento públicas. 

Para Carlos Ghosn, “O Groupe Renault foi pioneiro e é o líder europeu em veículos elétricos. Estamos a apresentar o Renault K-ZE, um modelo elétrico inspirado num SUV acessível, urbano e que combina o melhor do Groupe Renault: a nossa liderança entre os VE (veículos elétricos), a nossa experiência em veículos acessíveis e o estabelecimento de alianças fortes”

Em simultâneo, Carlos Ghosn prometeu ainda novas opções híbridas e híbridas plug-in em três dos seus modelos mais populares modelos, o Clio, o Captur e o Mégane, em 2020. 

“Confirmando os seus planos de eletrificar a gama no seu ciclo de renovação de produto, em 2020, a Renault contemplará uma motorização híbrida no Clio e híbrida plug-in no Mégane e Captur, oferecendo aos seus clientes a possibilidade de tornarem elétricos os modelos que conhecem e que tanto apreciam. A e-Tech, uma inovadora tecnologia assinada 100% pela Renault, permitirá oferecer versões híbridas nos modelos do segmento B e C”, refere a Renault em comunicado.

Deixe o seu comentário