Porsche 911 GT2 RS só durou três dias…

O "Inferno Verde" fez mais uma vítima e não foi uma qualquer, foi um dos primeiros 911 GT2 RS produzidos que apenas três dias depois de ter sido entregue foi retirado em cima de um reboque

Luis Neves 24/04/2018 Noticias

É o carro mais rápido de todos os que já rodaram em Nürburgring, mas não o foi nas mãos de qualquer um, é claro. Quando estamos longe de ser Lars Kern, Nick Tandy ou Kevin Estre (ndr. pilotos da Porsche), colocarmo-nos aos comandos de uma máquina como o Porsche 911 GT2 RS e logo num circuito como o Nurburgring-Nordschleife, pode ser um risco tão estimulante como arriscado.

Pois bem, foi o que fez um dos primeiros proprietários deste exclusivo desportivo. Três dias apenas depois de o receber (sim, leu bem, nem três meses ou três semanas), apenas 72 horas depois de ter nas suas mãos o desportivo de 368 mil euros (equipado com o Pacote Weissach, daí custar 368 mil euros), o nosso protagonista não pensou em mais nada que desafiar os limites no chamado “Inferno Verde”, para tentar umas quantas voltas rápidas ou bater o recorde do desportivo no traçado.

Por esta altura é fácil imaginar que a aventura não acabou bem, com uma saída de pista e um embate frontal que danificou a parte da dianteira deste Porsche. Felizmente os danos não parecem profundos e provavelmente basta substituir o pára-choques dianteiro para deixar este Porsche como novo. Mas para a histórica fica uma "cicatriz de guerra", um valente susto e claro, uma conta para pagar, e que não deverá ser “levezinha”.

Relacionadas:

Não se sabe o que aconteceu ao certo, mas quando se tem 700 cv e 750 Nm de binário ao dispor do pé direito muita coisa pode acontecer. Certo é que este condutor, com cerca de 30 anos de idade, levantou o seu carro num concessionário na Dinamarca e viajou logo de seguida para Nürburgring.

Deixe o seu comentário