Senna, o McLaren mais extremo de sempre

220kg mais leve que o 720S, Senna foi desenvolvido para as pistas mas tem permissão para circular na via pública

Miguel Costa 10/12/2017 Noticias

A última criação da McLaren chama-se Senna e não é mais que “o McLaren de estrada mais rápido e aerodinâmico de sempre”. Um superdesportivo desenvolvido com o foco na pista, mas também com homologação para estradas públicas. Chega no segundo semestre de 2018.

O nome é uma homenagem ao tricampeão de Fórmula 1 em 1988, 1990 e 1991. Com 1.198 kg, é mais leve que McLaren F1, produzido entre 1993 e 1998. Além disso, o motor V8 biturbo de 4.0 litros é o mais potente de sempre da McLaren, com nada menos que 800cv.

"O McLaren Senna é um carro sem igual: a personificação do ADN de competição da McLaren, legalizado para utilização em estrada e desenvolvido desde o início para ser brilhante em pista”, referiu Mike Flewitt, diretor da McLaren.

"Cada elemento desta útima criação da série Ultimate Series McLaren tem um foco de desempenho sem compromissos, aprimorado para garantir a mais pura ligação entre condutor e máquina e oferecer a melhor experiência de condução que apenas um McLaren pode proporcionar", acrescenta o responsável.

Construído em fibra de carbono, tem um enorme aileron regulável, diversas entradas e saídas de ar devidamente estudadas para otimizar o desempenho aerodinâmico e um peso de apenas 1.198 kg, o que faz dele 220 kg mais leve que o 720S e o McLaren mais leve desde o F1 da década de 90.

Utiliza uma versão modificada do motor V8 4.0 turbo (M840T) utilizado no 720S, debitando algo como 800cv e 800 Nm. O resultado é uma relação peso/potência de 668cv/tonelada, com a McLaren a adiantar apenas que terá uma “performance selvagem”.

De qualquer forma, espera-se uma aceleração dos 0 aos 100 km/h inferior a 3 segundos e uma velocidade máxima superior aos 320 km/h. A tração é traseira e a caixa de dupla embraiagem de 7 relações.

Por dentro, notam-se algumas semelhanças face ao 720S, com uma instrumentação totalmente digital, mostradores e decorações simples, num interior predominantemente minimalista. O botão de ignição e os comandos dos vidros foram reposicionados no tejadilho.

O Senna conta com uma evolução do sistema de suspensão do P1, ou seja, uma suspensão com triângulos duplos e amortecedores adaptativos, associados a barras anti-rolamento que a McLaren designa de RaceActive Chassis Control II. Ou, para abreviar RCC II.

Também o sistema de travagem é específico para este modelo, com a McLaren a dizer que é o “mais avançado” alguma vez feito para um carro de produção em série, com discos em carbocerâmica. Tudo em nome da performance máxima, assim como o conjunto de pneus, uns Pirelli PZero Trofeo R criados especificamente para este modelo e que pode ser utilizado na estrada e na rua.

Com uma produção de apenas 500 unidades e um preço a rondar um milhão de euros (antes de impostos), o McLaren Senna vai certamente ser um objeto de coleção em muitas garagens e mais um marco importante na história da marca. Para já, ficam as primeiras fotos oficiais.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Peugeot 508 2.0 HDi 160cv GT Line: Grande 'espada'
Teste ao Usado: BMW 520d Touring. Elegância é isto!