Mais de 150 radares destruídos em duas semanas

Protestos dos 'coletes amarelos' chegou aos radares de velocidade. Estima-se que mais de 600 estejam atualmente fora de serviço

0 aos 100 30/11/2018 Noticias

Os protestos dos automobilistas em França, contra o aumento dos combustíveis, estenderam-se ao mais “temido” pelos automobilistas e (enorme) fonte de receitas para o Governo: os radares de velocidade. As manifestações dos chamados “coletes amarelos” são responsáveis pela destruição, pelo fogo ou à pancada, de 150 equipamentos de controlo de velocidade apenas nos últimos 15 dias.

Ao todo, estima-se que mais de 600 equipamentos de controlo de velocidade tenham sido colocados fora de serviço, muitos de forma irrecuperável, segundo o radars-auto.com, a maioria através do fogo.

Relacionadas:

Os apelos à “neutralização” dos radares (alguns foram simplesmente roubados) foram lançados através das redes sociais, visando “impedir o Estado de recolher receitas desta forma”.

O ataque aos radares agravou-se nos últimos dias, quando mais 150 radares foram destruídos, dos quais mais de uma centena eram do tipo fixo, com um valor estimado em 21.000 euros, 13 eram seletivos (46.000 euros), outros tantos autónomos (64.000 euros).

Foram ainda inutilizados quatro sofisticados radares de velocidade média, que determinam a velocidade de todos os veículos num determinado troço, com um valor unitário de 150.000 euros.

Deixe o seu comentário