DS quer acabar com a moda dos enormes ecrãs. 'É um pouco estúpido'

Designer da Stellantis quer acabar com os ecrãs no interior dos carros

0 aos 100 30/06/2022 Noticias

Qual é o limite do número de ecrãs no interior dos automóveis? Já temos um para o sistema de infoentretenimento, outro para o painel de instrumentos e, dependendo da marca, um terceiro para algumas funções como ar condicionado. Além disso, estão cada vez maiores. Thierry Métroz, diretor do gabinete de design na DS Automobilies, acredita que ter muitos ecrãs no habitáculo de um automóvel não é bom e é até “um pouco estúpido"

"Ter ecrãs é uma tendência forte neste momento, mas acho que é um pouco estúpido, porque não ter mais um ecrã, apenas um display grande, não é a filosofia dentro da DS", disse Métroz em entrevista à Autocar.

Veja ainda:

O responsável sugere mesmo acabar completamente com os enormes ecrãs no interior dos próximos DS. "A nossa meta é tirar todos os displays dos interiores dos nossos carros no futuro", aponta. “O problema com o ecrã é quando o desligas, e fica apenas uma superfície negra retangular com todas as dedadas e marcas de impressões digitais. Não é sexy, nem luxuoso".

Métroz admite que mudar o paradigma e tendências é um grande desafio, uma vez que é necessário disponibilizar informações ao condutor. Neste sentido, a DS está a avaliar uma nova tecnologia que promete ser menos intrusiva com o objetivo de acrescentar ao interior e ao condutor "mais serenidade."

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Hyundai Kauai N-Line. Quando a irreverência enche (ainda mais) as medidas
Toyota Yaris 1.5 híbrido. Espécie evoluída