Conduzimos o EQA, o elétrico compacto da Mercedes com 426 km de autonomia

O primeiro modelo de uma ofensiva de elétricos “EQ” da Mercedes-Benz, o EQA, já está disponível nas instalações da Sociedade Comercial C. Santos e já tivemos oportunidade de ter o primeiro contacto.

0 aos 100 10/04/2021 Noticias

A Sociedade Comercial C. Santos apresentou o novo elétrico da Mercedes, o EQA. O irmão elétrico do GLA, o primeiro de seis novos modelos EQ a lançar até ao próximo ano, é a resposta para o já concorrido segmento dos SUV elétricos compactos. Está disponível a partir dos 53.750 euros.

Face ao GLA, o modelo que serve de base ao EQA, as dimensões não sofrem alterações, ao contrário da estética, que ganha detalhes específicos, como a grelha “painel preto” com estrela central, que é uma referência da marca Mercedes-EQ. Outro elemento distintivo é a contínua faixa de luz nas secções dianteira e traseira.

Ainda no capítulo estético, realce para as jantes de liga leve exclusivas do EQA, que estão disponíveis com dimensões de até 20 polegadas. Em algumas versões, podem ter revestimento na cor ouro rosado ou azul.

O SUV, apresentado no Porto pela Sociedade Comercial C. Santos, está disponível, para já, apenas na versão 250, com uma potência de 190 cv (140kW), uma aceleração dos 0 aos 100 km/h em 8,9 segundos e uma velocidade máxima de 160 km/h (limitada eletronicamente).

A bateria de iões de lítio, que se encontra instalada num elemento estrutural na secção inferior do chassis do veículo, tem uma capacidade de armazenamento de energia de 66,5 kWh. A autonomia é de 426 km (de acordo com o ciclo de teste WLTP) e o consumo em ciclo combinado é de 17,7 kWh/100 km (também WLTP).

Veja ainda:

Os tempos de carregamento variam entre as 5h45 numa wallbox ou num posto de carregamento público (corrente AC com uma potência de pelo menos 11 kW, com intensidade de corrente de 16 A por fase) e os 30 minutos para uma carga de 10% a 80% num posto de carregamento rápido de corrente DC com uma tensão de rede de 400 V e uma intensidade de corrente de pelo menos 300 A. Este carregamento ultrarrápido permite recuperar em 30 minutos mais de 300 km.

No primeiro contacto, o EQA impressiona pelo silêncio a bordo, mesmo para os padrões já muito elevados de um elétrico, e pela resposta lesta dos 190cv, além da agilidade de todo o conjunto. Conta com quatro modos de condução: Eco, Comfort, Sport e Individual.

Quota de eletrificados em subida

Os eletrificados (conhecidos internamente como xEV) representaram quase 40% das vendas Mercedes-Benz da Sociedade Comercial C. Santos em 2020, com um rácio de 1,8% de totalmente elétricos (EQC, de que houve poucas unidades disponíveis para entrega) e 38% de modelos híbridos plug-in.

De acordo com as projeções da marca, e com o crescimento previsto da gama de elétricos (o EQA marca o arranque de uma série de seis novos modelos EQ a lançar até ao próximo ano) e híbridos plug-in (as versões PHEV dos novos Classe S e Classe C terão autonomia 100% elétrica de 100 km), a expectativa é que a importância dos modelos xEV continue a aumentar este ano e no próximo.

Nas contas totais da Mercedes-Benz, em Portugal (todas as concessões e não apenas a Sociedade Comercial C. Santos), a marca alcançou, no mês passado, a segunda posição no mercado nacional, com um crescimento de 1,5% face ao período homólogo do ano passado.

Destaque ainda para a performance da marca da estrela entre os xEV, com a venda de 522 unidades no mês passado (1283 no acumulado do trimestre), o que corresponde a 43,1% do total das vendas Mercedes-Benz em Portugal.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Mercedes-Benz B 250e: ora elétrico, ora gasolina!
Ao volante do Hyundai Kauai Hybrid. Inteligência funcional