Prevenção Rodoviária Portuguesa quer exames de condução à chuva

Presidente da PRP lembra que 'quando as pessoas vão a uma escola de condução querem acima de tudo ter a carta e não aprender a conduzir'

0 aos 100 11/12/2020 Noticias

A Prevenção Rodoviária Portuguesa (PRP) defende mudanças no ensino da condução, para que os novos encartados aprendam a conduzir de forma mais segura em condições de escassa aderência e visibilidade, como à chuva, por exemplo.

O presidente da PRP, José Miguel Trigoso, em declarações à TSF, não pede mais campanhas de sensibilização que “dificilmente teriam efeitos práticos”, mas que, na formação, se aprenda "a relação das distâncias de travagem, as velocidades e a redução do coeficiente de atrito com o piso molhado”, e sublinha que, “para essa matéria ser efetivamente dada, terá de fazer parte dos conteúdos de exame".

Veja ainda:

Para Trigoso, o último estudo que fizeram, há alguns anos, apontava para uma redução da velocidade média quando chove. Todavia, o responsável da PRP considera que “essa diminuição é inferior ao que devia acontecer para manter o mesmo nível de risco provocado pela água na estrada que, naturalmente, aumenta os tempos e espaços de travagem, havendo mais acidentes, em termos médios, com chuva".

"Quando as pessoas vão a uma escola de condução querem acima de tudo ter a carta e não aprender a conduzir", refere. “Não basta ter o conhecimento da velocidade máxima a partir da qual se pode ser multado", sublinha.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Hyundai Tucson 1.6 TGDi 48V. SUV com personalidade!
Mercedes-Benz B 250e: ora elétrico, ora gasolina!