Mercedes-Benz desistiu da condução autónoma

Futuros modelos permanecerão no nível 3 de condução autónoma

0 aos 100 08/11/2020 Noticias

A Mercedes-Benz vai seguir os mesmos passos da Audi e desistir da ‘corrida’ à condução autónoma. Os futuros modelos permanecerão no nível 3, estreado no novo Classe S. A marca alemã pretende evitar o risco de se transformar numa empresa de serviços de mobilidade, em contraciclo com a maioria dos construtores de automóveis.

Segundo a publicação alemã Redaktionsnetzwerk Deutschland, Ola Källenius, CEO da Daimler, acredita que “é mais importante para a empresa gerar lucros consistentes do que procurar incansavelmente a inovação”.

“A conversão para um eventual fornecedor de mobilidade é coisa do passado”, disse um porta-voz da Mercedes, citado pela mesma publicação. “Vamos afastar-nos disso novamente. Não podemos ganhar dinheiro com ofertas como a partilha de automóvel. Os nossos investidores não esperam apenas vendas, mas também, acima de tudo, lucro”.

O mesmo porta-voz acrescentou que a Mercedes já não pretende atingir o nível 5 de condução autónoma. “Não competiremos em nenhuma corrida que não possamos vencer”, sublinhou.

Veja ainda:

O Redaktionsnetzwerk Deutschland acrescenta que o desenvolvimento de tecnologia de condução autónoma na Alemanha chegou a um impasse, ao contrário do que aconteceu, por exemplo, nos Estados Unidos.

A ausência de regulamentação específica sobre esta tecnologia, a nível europeu e mundial, é um dos fatores que também influenciaram a decisão da Daimler, bem como os resultados de alguns inquéritos na Europa, em que a grande maioria dos condutores não pensa renunciar à condução.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Mercedes-Benz B 250e: ora elétrico, ora gasolina!
Toyota Corolla Touring Sports TREK, uma carrinha com 'alma' SUV