Europa ataca diesel e vai apertar os limites de emissões de NOX até 2022

União Europeia pretende que o fator de tolerância diminua gradualmente o valor até que desapareça por completo

0 aos 100 20/09/2020 Noticias

A Europa quer aproveitar a situação que vivemos atualmente para obrigar os fabricantes a intensificar o seu compromisso com os carros elétricos, em comparação com qualquer outra forma de eletrificação, eliminando progressivamente os motores de combustão. É algo que se espera até 2030, cortando objetivos aos fabricantes.

A estratégia é a já conhecida: tornar os diferentes padrões de emissões cada vez mais rígidos. E, no caso do diesel, espera-se uma redução drástica a partir de setembro de 2022, eliminando o fator de tolerância.

Por outras palavras, não pode haver um desvio entre os testes de laboratório e os testes de condução em condições reais de trânsito (na sigla, RDE), algo que hoje em dia é permitido, com uma tolerância de 2,1 vezes, o que significa que se o limite de emissão de NOX num diesel é de 80 mg/km, mas um veículo pode ser homologado com 168 mg/km.

Veja ainda: 

Assim, a União Europeia pretende que o fator de tolerância diminua gradualmente o valor até que desapareça, passando de imediato de 1,43 para 1,32, deixando de existir a partir de 30 de setembro de 2022.

Desta forma, os dados obtidos nos testes de condução real serão os únicos válidos, pelo que os dispositivos portáteis para os testes de emissões em condução real serão mais precisos a partir de junho de 2021, medindo os requisitos mais rígidos para homologações.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Ensaio ao Renault Clio RS Line TCe 130 EDC: Faceta desportiva
DS 3 Crossback BlueHDi 100. A virtude de ser diferente