'Um incidente na Alemanha impediu que Miguel Oliveira fosse campeão'

Patrão de Miguel Oliveira acredita que em 2021 o português vai lutar por vitórias

0 aos 100 30/05/2020 Desporto

O francês Hervé Poncharal, patrão da equipa Tech3 que faz alinhar o português Miguel Oliveira no Mundial de MotoGP, acredita que em 2021 o piloto de Almada poderá estar a lutar por vitórias.

Em entrevista à agência Lusa, o diretor desportivo da equipa satélite da KTM confessou admirar o piloto luso "há vários anos" e garantiu "recordar perfeitamente" a primeira vitória de Oliveira no Mundial.

"Já o acompanhava nessa altura e fiquei muito feliz por ele", admitiu Hervé Poncharal.

"Foi num ano em que mostrou que era o piloto mais forte do campeonato e em que devia ter sido campeão. Mas, infelizmente, o desporto quis de maneira diferente e um incidente na Alemanha impediu que festejasse o título", sublinhou o francês.

Poncharal reconhece que o ano de estreia em MotoGP, em 2019, "não foi fácil" para o piloto de Almada, que viu a sua época encurtada devido a lesão.

"Em 2020 também terá a época encurtada, pela covid-19, pelo que não está fácil poder ganhar experiência em MotoGP", anotou.

No entanto, acredita que, ainda que com menos provas, será "um ano importante" para a afirmação da marca KTM e do próprio Miguel Oliveira.

"Este ano a KTM reorganizou-se e vamos ter o material de fábrica logo desde início, o que será importante. Falar sobre resultados é que não é fácil pois há muitas motas oficiais na grelha. Mas acredito que estaremos regularmente nos dez primeiros lugares. Talvez ainda seja possível conseguir um ou outro top6 ou top5. O mais importante será diminuir a distância para o vencedor, para dez ou 15 segundos", assinalou Hervé Poncharal.

Veja ainda:

Apesar das cautelas, o diretor da Tech3 acredita que "se o Miguel tiver oportunidade de ir ao pódio, com certeza vai agarrá-la".

"Sabemos o nível de pilotagem que tem e temos muita confiança nele", garantiu ainda.

Apesar de encurtada devido à pandemia, a temporada de 2020 será "importante" para o piloto luso se adaptar à categoria rainha, pois "as motas são autênticos animais" de potência.

"É preciso perceber uma data de coisas sobre a mota antes de se conseguir extrair todo o potencial a 100%", explicou Poncharal.

E, sendo o piloto português "muito bom tecnicamente e a trabalhar com o engenheiro", este vai ser "um ano de preparação".

"Tenho grande fé nele e muita ambição. O de 2021 já será, então, um ano em que poderá demonstrar, finalmente, todo o seu potencial", concluiu, o patrão do piloto português.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Ensaio ao Mazda3 1.8 Skyactiv-D 116cv Evolve: Direto ao topo
Peugeot 508 2.0 HDi 160cv GT Line: Grande 'espada'