WRC 2020 permitirá quatro WRC por construtor

FIA e WRC já têm a solução para a saída da Citroen Racing

0 aos 100 08/12/2019 Desporto

O Conselho Mundial da Federação Internacional do Automóvel (FIA) aprovou uma alteração nos regulamentos do WRC que permite aos construtores a inclusão de um quarto WRC nos ralis do Mundial, desde que este carro seja inscrito de forma independente da formação oficial, não pontuando para o mundial de construtores.

Esta é a solução da FIA e do WRC à saída da Citroen Racing do Mundial de Ralis e a consequente redução de carros WRC.

Quem pode tirar maior partido da nova norma é a Toyota e a Hyundai, uma vez que a decisão da FIA pode abrir as portas de ambas estruturas a pilotos que poderiam ter poucas opções de correr.

Veja ainda:

Assim, a Toyota Racing, por exemplo, deverá entregar um quarto Yaris WRC ao japonês Takamoto Katsuta. Enquanto Sébastien Ogier, Elfyn Evans e Kalle Rovanperä competirão na primeira formação, Katsuta competirá numa estrutura paralela. Uma equipa que pode também servir de base para Jari-Matti Latvala realizar um programa parcial de cinco ralis. Este não é o caso da M-Sport, que competirá com dois Ford Fiesta WRC e uma terceira unidade de forma pontual.

Por seu turno, a situação da Hyundai Motorsport é mais complexa. Os três Hyundai i20 WRC Coupé da equipa oficial estão destinados a Thierry Neuville, Ott Tänak, Dani Sordo e Sébastien Loeb, com os dois últimos a “rodar” no terceiro carro oficial.

Apesar de já ter quatro pilotos, a marca está disponível para lançar uma segunda estrutura na qual Craig Breen e Andreas Mikkelsen poderiam competir. Uma equipa paralela que poderia até incluir pontualmente Nikolay Gryazin e Ole-Christian Veiby, que serão os pilotos da Hyundai que vão competir no WRC2.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

DS 3 Crossback BlueHDi 100. A virtude de ser diferente
Ensaio ao Renault Clio RS Line TCe 130 EDC: Faceta desportiva