Nova tecnologia da Hyundai reduz consumo e melhora prazer de condução nos híbridos

Active Shift Control reduz em 30% o tempo de mudança de velocidades

0 aos 100 23/07/2019 Noticias

A Hyundai desenvolveu a primeira tecnologia Active Shift Control (ASC) no mundo, inovação que otimiza a eficiência da transmissão ao monitorizar a mudança de velocidades 500 vezes por segundo, ajustando a velocidade de rotação de transmissão para reduzir o tempo de mudança de velocidades.

Esta tecnologia vai estar disponível no próximo Hyundai Sonata Hybrid e provavelmente já vai beneficiar as próximas viaturas híbridas da Hyundai.

O ASC aplica um software novo de comando lógico à Unidade de Controlo Híbrida (HCU), a qual comanda o motor elétrico para alinhar as velocidades de rotação do motor e transmissão para redução do tempo de mudança de velocidades em 30%. Esta tecnologia proporciona mudanças de velocidade mais suaves, apesar dos tempos serem mais rápidos.

«O desenvolvimento da primeira tecnologia ASC do mundo é uma inovação notável que incorpora o controlo do motor na transmissão automática», afirma KyoungJoon Chang, Vice-Presidente da Hyundai, que acrescenta: «não só economizará combustível, como vai proporcionar uma experiência de condução mais divertida a todos os nossos clientes».

Para maior economia de combustível, os automóveis híbridos não possuem conversor de binário, já que estes perdem energia durante o processo de transmissão. Embora seja eficiente em termos de combustível, este sistema requer maior tempo de mudança, para garantir a suavidade nas mudanças de velocidade.

Veja ainda:

A tecnologia ASC permite ao motor elétrico do híbrido assumir o controlo nas mudanças de velocidade, aplicando a nova lógica do software à Unidade de Controlo Híbrida (HCU) para evitar possíveis problemas com o tempo de mudança mais lento. A HCU monitoriza a velocidade de rotação da transmissão500 vezes por segundo, com um sensor instalado no motor elétrico para sincronizar rapidamente a velocidade de rotação com a velocidade do motor.

Com esta sincronização, o tempo de mudança de velocidades reduz cerca de 30%, de 500 para 350 milésimos de segundo. Esta tecnologia melhora não só o desempenho na aceleração e a economia de combustível dos híbridos, como também aumenta a durabilidade da transmissão, ao reduzir o atrito durante a mudança de velocidades.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Ensaio ao Renault Clio RS Line TCe 130 EDC: Faceta desportiva
DS 3 Crossback BlueHDi 100. A virtude de ser diferente