Ferrari SF90 Stradale tem caixa de 8 velocidades sem marcha-atrás

Ferrari projetou uma nova transmissão de dupla embraiagem de 8 velocidades, no entanto, decidiu fazê-la sem marcha-atrás. Saiba porquê

0 aos 100 30/05/2019 Noticias

É uma das curiosidades do primeiro híbrido Plug-in (leia-se, de ligar à tomada) da Ferrari: a transmissão de oito velocidades com dupla embraiagem do SF90 Stradale dispensa de marcha-atrás (sim, leu bem...).

O motor é uma evolução do 3.9 V8 biturbo utilizado pelo 488 Pista, que viu a potência subir dos originais 720 cv para 780 cv. Parte da explicação fica a dever-se ao incremento da cilindrada, uma vez que o motor passou de 3,9 para 4,0 litros, mas também contribuíram a injeção direta de gasolina a 350 bar (nunca foi tão elevada).

Mas os 780 cv do 4.0 V8 são apenas o princípio, uma vez que o novo Ferrari conta com mais três motores e todos elétricos, uma configuração nunca antes vista em Maranello, mas que abre portas a soluções muito interessantes. Uma delas é que a transmissão de dupla embraiagem não tem marcha-atrás, uma importante novidade que poderá tornar-se “normal” nos futuros Ferrari.

Como a redução de peso foi uma prioridade máxima no desenvolvimento do SF90 Stradale, uma das soluções foi aproveitar ao máximo a solução híbrida. Assim, enquanto o sistema híbrido será capaz de oferecer até 25 km de autonomia elétrica a velocidades de até 135 km/h, as rodas dianteiras, onde se encontram dois (um por roda) dos três motores elétricos (o terceiro está instalado entre o V8 e a caixa), as mesmas rodas dianteiras eletrificadas serão responsáveis ​​pelas manobras de marcha-atrás.

A “exclusão” da marcha-atrás permitiu à Ferrari “cortar” três dos 10 kg que a Ferrari conseguiu tirar em relação à caixa de 7 velocidades que, por exemplo, é utilizada no F8 Tribute.

Veja ainda:

Com a bateria de 7,9 kWh, que manterá sempre uma carga miníma, o SF90 Stradale utilizará somente os dois motores elétricos dianteiros sempre que for necessário fazer manobras de marcha-atrás e, portanto, desligando o motor V8 de 780cv (1000cv no combinado).

Esta não é uma solução nova e outros híbridos Plug-in já beneficiam da simplicidade do motor elétrico, mas é inédita e até algo ousada (pelo menos, para já) na Ferrari.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Teste ao Usado: BMW 520d Touring. Elegância é isto!
Peugeot 508 2.0 HDi 160cv GT Line: Grande 'espada'