Motoristas de combustíveis admitem nova greve a partir de 7 de maio

Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas alerta que poderá haver nova greve caso não haja acordo

0 aos 100 29/04/2019 Noticias

O Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) admitiu, esta segunda-feira, depois de uma reunião realizada esta tarde com a Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM) que, caso não haja acordo dentro de uma semana, poderá haver nova greve.

Pedro Pardal Henriques, do Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), disse estranhar que a Associação Nacional de Transportes Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM) não conhecesse já as reivindicações dos motoristas, garantindo que a estrutura sindical não está “a brincar” e exigindo que a associação se pronuncie dentro de uma semana.

O SNMMP e a ANTRAM estiveram reunidos no Ministério das Infraestruturas, em Lisboa, sob a mediação do Governo, representado pelo advogado Guilherme Dray.

Caso a associação não se pronuncie dentro do prazo estipulado, os trabalhadores vão utilizar “todos os mecanismos” de que dispõem, em especial, e “muito provavelmente”, uma nova paralisação, assegurou Pedro Pardal Henriques, o assessor jurídico do sindicato e antigo vice-presidente.

Entre as reivindicações dos motoristas de matérias perigosas está um salário de 1.200 euros, um subsídio de 240 euros e a redução da idade de reforma.

Recorde-se que no passado dia 15 de abril os motoristas de matérias perigosas deram início a uma greve - que durou três dias -, que deixou os postos de combustível de praticamente todo o país totalmente vazios.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Ensaio ao Mazda3 1.8 Skyactiv-D 116cv Evolve: Direto ao topo
Peugeot 508 2.0 HDi 160cv GT Line: Grande 'espada'