Projetistas da Audi pedem produção do PB18 e-tron

O desejo é da equipa de desenhadores. Mas o projeto enfrenta muitos e enormes desafios

0 aos 100 01/12/2018 Noticias

É muito raro designers virem a público admitir que estão a pressionar a administração de uma marca para produzir um determinado projeto. É o que acontece com o Audi PB18. O chefe de design da Audi, Andreas Mindt, revelou no Salão de Los Angeles que a equipa de design do PB18 e-tron tem vindo a fazer de tudo para que superdesportivo elétrico seja produzido.

Contudo, desenvolver um carro com a configuração do PB18 implica enormes desafios, além de que seria extremamente caro para a Audi. Particularmente porque a produção do veículo seria extremamente limitada. Além disso, seria virtualmente impossível para a Audi comercializar o interior como o do protótipo, visto que o banco do condutor desloca-se do lado esquerdo para o centro e vice versa.

Veja ainda:

O objetivo era o de um habitáculo adaptável, ocupando o condutor a posição central quando está sozinho na viatura ou adotando o posicionamento convencional para dar espaço a um passageiro adicional.

Mas este não seria o único desafio dos engenheiros, já que teriam que desenvolver sistemas de refrigeração capazes de arrefecer a elevada capacidade dos três motores elétricos.

Um dos motores surge integrado no eixo dianteiro e debita 201 cv, enquanto os outros dois encontram-se no eixo traseiro, um por roda, produzindo mais de 234 cv cada. A potência combinada é de 680cv, que pode ascender aos 775cv temporariamente se ativado o modo ‘boost’.

Segundo a Audi esta configuração permite a esta máquina uma aceleração dos 0 aos 100 km/h em menos de 2 segundos e uma velocidade máxima superior a 300 km/h.

Além de todos estes desafios, há o simples facto de que o PB18 e-tron foi projetado para utilizar baterias de estado sólido com capacidade de 95 kWh. Embora esta bateria venha a estar disponível no futuro, a tecnologia ainda não está pronta para produção, mesmo que limitada.

Deixe o seu comentário