Tesla Model 3 já tem modo para 'queimar borracha'

Derrapagens ‘para todos’ com o novo 'Track Mode'. Veja como funciona...

0 aos 100 09/11/2018 Noticias

O Tesla Model 3 continua a ser uma verdadeira caixinha de surpresas. As atualizações sem fio - como as de um smartphone - que a Tesla envia gradualmente para os seus carros, permitem estrear novos modos de condução e funções que não estavam disponíveis quando saíram de fábrica.

É um dos poucos fabricantes de automóveis a fazê-lo, mas não será o único. A novidade é que o Model 3 Performance, com dois motores elétricos e tração às quatro rodas (disponível na Europa em 2019),  vai passar a contar com um modo de "diversão", destinado a circuitos, denominado "Track Mode". Um modo de condução em que as derrapagens e o drift passam a estar disponíveis "para todos os públicos".

O Model 3 Performance possui uma bateria de 75 kWh e tração integral, garantida por dois motores elétricos – um em cada eixo. Oferece uma potência de 450cv e uma velocidade máxima de 250 km/h, permitindo ainda uma aceleração dos 0 aos 96 km/h (0-100 mph) em escassos 3,5 segundos, números semelhantes aos de um BMW M3 CS.

Relacionadas:

Como os motores a serem levados mais vezes ao limite, o que pode gerar sobreaquecimento, o Model 3 viu o sistema de refrigeração melhorado, para reduzir a temperatura da bateria. Também o sistema de assistência de travagem viu aumentada a intensidade da regeneração na travagem.

O Model 3 tem diferenciais abertos em ambos os eixos, mas o Track Mode simula a presença de um autoblocante, travando de forma seletiva as rodas do interior da curva. No entanto, o que é realmente impressionante é o controlo de motores elétricos no momento de distribuir a potência pelos dois eixos.

O ESP do Model 3 é denominado de Vehicle Dynamics Controller, e é o sistema que permite que o Track Mode permita que o carro envie mais potência para o eixo traseiro, permitindo derrapagens como se pode ver no vídeo divulgado.

O débito de potência é medido em tempo real entre os dois eixos, tendo em conta o ângulo de viragem, a posição do volante, a aceleração lateral ou a aderência disponível em cada uma das quatro rodas. Como os motores elétricos reagem em milissegundos, o controlo do carro é extremamente preciso, tanto no início das derrapagens como no final.

Deixe o seu comentário