Portugueses desenvolvem carro-voador

Projeto cruza “o setor automóvel, aeronáutico e sistemas inteligentes de mobilidade". Testes arrancam em 2019

Miguel Costa 07/11/2017 Noticias

Já imaginou um automóvel capaz de elevar-se acima das filas de trânsito e voar até casa? Pois é, o Centro de Engenharia e Desenvolvimento de Produto (CEiiA) está a desenvolver o Flow.me, uma fusão entre um carro autónomo e um drone, sendo capaz de andar em estrada ou pelo ar.

O Flow.me “representa a ambição da engenharia portuguesa no futuro da mobilidade” e é resultado de cerca de uma década de trabalho do CEiiA de Matosinhos em parceria com entidades brasileiras e empresas portuguesas especializadas no setor automóvel e aeronáutico.

O conceito é simples: um drone surge acoplado ao veículo, possibilitando a sua descolagem e voo em áreas específicas, como os parques logísticos em zonas industriais, onde começará a ser testado numa fase inicial a partir da primeira metade de 2019.

“Sempre que pensamos num carro, imaginamos um veículo único, que incorpora um habitáculo, onde estão os passageiros, e um conjunto de sistemas – motor, eixos, rodas – que permitem ao veículo deslocar-se pela estrada. O que fizemos foi desconstruir este conceito, distinguindo e separando o habitáculo do sistema de locomoção. Desta forma, podemos ter vários sistemas de locomoção, adaptados aos diferentes meios, e que podem ser utilizados em estrada ou pelo ar”, explica Helena Silva, diretora-executiva do CEiiA.

O Flow.me funciona com três blocos principais: um habitáculo (para passageiro e mercadoria), um sistema de locomoção rodoviário (autónomo e que funciona como doca para acoplar o habitáculo, estando preparado para circular de forma independente de acordo com as solicitações de serviços) e um drone (semelhante a um helicóptero).

Tem cerca de 3 metros de comprimento, capacidade de carga até 500 kg e pode ser configurado para dois ou quatro passageiros. O motor elétrico anuncia uma autonomia para 200 km (cujas baterias carregam em cerca de 80% em 30 minutos). Já o sistema aéreo, com cerca de 6 metros de comprimento, permitirá uma autonomia entre 3 e 6 horas de voo.

O objetivo é que o Flow.me venha a ser associado ao transporte de pessoas e serviços de car sharing ou on-demand em cidades, como uma solução de mobilidade urbana. O projeto conta com um investimento global estimado de 18 milhões de euros. Os planos passam por colocar este carro-drone no mercado em 2022.

Ficha Técnica – Flow.me

Habitáculo

– Dimensões: 3 metros (aproximadamente) – Capacidade de carga: até 500 quilos – Número de passageiros: 2 a 4 passageiros (configurável)

Sistema Aéreo

– Dimensões: 6 metros (aproximadamente) – Autonomia:  3-6 horas

Sistema Terrestre

– Tipo de motorização: Elétrica – Autonomia: 200 km – Tempo de Carregamento: 30 minutos (rápido)/80%

– Carregamento: por indução e por conecção direta (ficha)

Deixe o seu comentário