Duelo na Serra da Lousã: bicicleta contra Hyundai i20 WRC, quem vence?

Red Bull desafiou Dani Sordo e Andreu Lacondeguy para o 'Fast Encounter'. Veja o vídeo

0 aos 100 11/10/2018 Curiosidades

Qual o mais rápido para descer a Serra da Lousã, um Hyundai i20 WRC ou uma bicicleta de downhill? Os mais de 300 cv do WRC parecem não deixar margem para dúvidas. Mas será mesmo assim?

O espanhol, Andreu Lacondeguy, não achou que o desfecho fosse assim tão previsível. Foi por isso que desafiou o seu compatriota, Dani Sordo, para este inédito duelo. Um verdadeiro momento de “homem vs máquina” na Lousã, no coração de Portugal.

O troço da Serra da Lousã, que já fez parte do Rali de Portugal nas décadas de 80 e 90, é um dos spots de treino favoritos de grandes atletas como Gee e Rachel Atherton, Marcelo Gutiérrez e do próprio Lacondeguy.

O desafio recebeu o nome “Fast Encounter". A descida de Sordo é muito diferente da de Lacondeguy. O piloto de rali aventurou-se pelo percurso mais longo (rodeado de vistas inacreditáveis), passando por gravilha, pó e folhas.

Enquanto isso, a rota de Lacondeguy é mais direta ao sino de chegada. Pista esta que o craque e o seu irmão, Luís, ajudaram a construir, com saltos vertiginosos (Sordo, por exemplo, teve de “voar” durante 15 metros).

Estes dois trajetos cruzam-se mais do que uma vez, pelo que há uma ocasião em que Sordo salta por cima de Lacondeguy e outra em que o ciclista espanhol salta por cima do Hyundai i20 WRC.

"O Dani foi verdadeiramente incrível no carro. A primeira filmagem que fizemos tínhamos uma curva difícil, em gravilha, e eu não podia acreditar. Ele simplesmente acertou logo a curva", disse Lacondeguy, impressionado com o piloto da Hyundai.

Sordo também não ficou indiferente a Lacondeguy. "É incrível o que ele faz. Estou impressionado com ele e isto que ele faz é inacreditável. É sempre bom vê-lo a fazer saltos e descidas malucas", atirou o piloto da Hyundai.

Filmado em colaboração com a Hyundai no aquecimento para o Rally De España (25-28 Outubro) e o Red Bull Rampage (26 de Outubro), a logística de produção desta corrida épica enfrentou algumas dificuldades.

Para gravar o filme foram precisas equipas de bombeiros e de segurança, várias equipas de filmagem e um planeamento precisado ao minuto. Captar a velocidade dos dois craques foi uma tarefa exigente. “Quando estás a trabalhar com atletas deste calibre, acompanhá-los e filmá-los pode ser um verdadeiro desafio,” afirmou o realizador do Fast Encounter, Oisin Tymon.

Deixe o seu comentário