Honda Civic 1.0 i-VTEC Turbo: mil e uma razões...

É a versão de entrada na gama Civic, mas não se deixe iludir este motor 1.0 Turbo tem mais para oferecer que os 129cv

Luis Neves 02/05/2018 Testes

A Honda parece ter encontrado a fórmula perfeita para os amantes das mecânicas a gasolina: um motor de pequena cilindrada, capaz de oferecer uma potência considerável. Tudo vestido por uma aparência desportiva e um equipamento de série muito convincente.

Ainda se questiona de que vale ter um motor “mil” num modelo como o Honda Civic? Então pense nisto: ter um 1.0 a gasolina custa menos 4.000 euros que um 1.6 Diesel (são, grosso modo, 40 depósitos de gasolina) e a performance não é assim tão diferente.

Equipado com o motor 1.0 i-VTEC Turbo (gasolina, de três cilindros, sobrealimentado), o Civic fica a pesar menos de 1300 kg, o que é desde logo uma vantagem na relação peso/potência (9,9 kg/cv) face ao 1.6 i-DTEC (120cv, Diesel), que torna esse Civic mais pesado (1340 kg) e faz cada cavalo de potência ter que “puxar” 11,2 kg.

Parece pouco significativo? Mas a ideia é, verdadeiramente, que exista uma versão a gasolina que se equipare a um Diesel. Dar capacidade de escolha ao cliente. Há quem prefira mesmo o conforto e a suavidade de um motor a gasolina, por oposição à força mais bruta de um motor a gasóleo, que normalmente se faz acompanhar do gargarejo e do tremelique tradicionais.

Neste caso, e mesmo tratando-se de um três cilindros, o desempenho acústico vai ao de encontro de qualquer entusiasta da Honda, com uma sonoridade cativante (que pede sempre para acelerar um pouco mais).

A acompanhar a sonoridade encontra-se uma capacidade de resposta que chega a impressionar pelo pulmão com que sobe de regime. Unindo turbocompressor, intercooler e injeção direta a gasolina, este motor demonstra algum do antigo carácter do VTEC, mas agora não vale a pena levar o ponteiro das rotações até perto do ‘redline’ (é um motor turbo, não esquecer).

Uma boa parte do binário está presente logo em baixas rotações – à volta das 1.300 rpm já se obtém uma boa resposta -, evidenciando o facto de ser uma unidade muito ‘redonda’, o que lhe vale recuperações também de muito bom nível.

Também a caixa de seis velocidades tem um tato e uma precisão a roçar o perfeito, permitindo também um manuseamento rápido e desportivo. No geral, sente-se rápido, mais do que os 11,2 segundos da aceleração dos 0 aos 100 km/h anunciados no papel.

Impõe-se, porém, alguma cautela, se o condutor andar mais preocupado com os consumos. É fácil fazer médias de 6 litros aos cem (com muitos cuidados, obviamente), mas em utilização algo mais ‘afoita’, é fácil convencer o computador de bordo a saltar para os 8 l/100 km de média.

Relacionadas:

Conduzir este Civic dá prazer, não só pela precisão e correcto escalonamento da caixa manual de 6 de velocidades, mas também pelo feeling da direcção e excelente posição de condução.

É fácil curvar depressa e o equilíbrio é uma constante em qualquer situação, algo que é explicado pela opção pelo eixo traseiro multibraços, o que lhe permite uma competência exemplar em zonas sinuosas, mudando de direção com precisão assinalável sem prejuízo para o conforto.

Quanto ao valor a pagar, o Civic com este motor 1.0 Turbo arranca nos 23.305 euros, mas a versão ensaiada e mais completa em termos de equipamento, a Executive Premium, fica muito próxima dos 30 mil euros (29.735 euros). Contudo, para justificar este preço há um pacote total de extras, como os bancos em pele, suspensão adaptável, o sistema de infoentretenimento Honda Connect NAVI, bancos aquecidos à frente e atrás e jantes de 17 polegadas.

Pelo meio existem dois outros níveis de equipamento, possivelmente com um melhor equilíbrio entre equipamento/preço. Trata-se da versão Elegance por 25.535 euros e o Executive por 28.835 euros.

FICHA TÉCNICA

Motor

Tipo –  3 cilindros em linha, injeção direta, turbo

Cilindrada (cm3) – 988

Potência máxima (cv/rpm) – 129/5500

Binário máximo (Nm/rpm) – 200/2250

Transmissão – Caixa manual de 6 velocidades

Prestações e consumos

Aceleração 0-100 km/h (s) – 8,4

Velocidade máxima (km/h) – 200

Consumos Extra-urb./urbano/misto (l/100 km) – 5,0/7,9/6,1

Emissões de CO2 (g/km) – 139

Dimensões e pesos 

Comp./largura/altura (mm) – 4518/1799/1434

Distância entre eixos (mm) – 2697

Peso (kg) – 1275

Capacidade da bagageira (l) – 420

Depósito de combustível (l) – 46

Pneus (fr/tr) – 215/55 R16 (235/45 R17)

Deixe o seu comentário