Ao volante do Suzuki Swift Sport: mais leve e desportivo...

Digno herdeiro do Swift GTi das décadas de 80 e 90, chega a quinta geração de um modelo que sempre teve o seu espaço entre os desportivos de bolso, pensados para a máxima diversão.

Luis Neves 05/06/2018 Testes

970 kg, 140cv e 210 km/h. O mais “assanhado” dos Suzuki Swift recupera a filosofia de baixo peso para o máximo de sensações ao volante e está a chegar a Portugal. O 0aos100 esteve na apresentação, em Madrid, e conta todos os detalhes do novo "pocket rocket" nipónico.

Quem não se lembra do Swift GTi do início da década de 90 e que tanto dores de cabeça deu a modelos como o Citroen AX GTi, Volkswagen Polo G40, Fiat Uno Turbo, entre outros. Pois bem, o Swift Sport recupera a linhagem dos seus antecessores, especialmente agora, com um peso abaixo da tonelada e 140cv dispostos a fazer sorrir quem o conduz.

O motor 1.4 Boosterjet de 140cv substitui o 1.6 atmosférico de 120cv, utilizado na anterior geração. Mas mais importante é o binário máximo, agora de 230 Nm a partir das 2500 rpm – face aos 160 Nm às 4400 rpm -, o que se torna evidente ao volante. A facilidade com que sobe de regime impressiona, sempre nunca perder o folego em nenhum momento.

Quem contribui para o entusiasmo dinâmico é a caixa de 6 velocidades, com excelente manuseamento e engrenamento muito curto e direto, a lembrar desportivos dos segmentos acima. É capaz de acelerar dos aos 100 km/h em 8,1 segundos (antes 8,7 segundos) e alcança uma velocidade máxima de 210 km/h (antes 195 km/h). A média de consumo anunciada é de apenas 5,6 litros aos cem – as emissões de CO2 ficam-se pelas 125 g/km.

Não recorre a pneus excessivamente largos (195/45 R17) nem a taragens de suspensão demasiado firmes. O baixo peso e as alterações efetuadas na suspensão permitem-lhe uma excelente agilidade, destacando-se a suspensão dianteira (equipada com amortecedores Monroe), que “trata por tu” qualquer curva mais desafiante, sem que prejudique o conforto a bordo.

Por fora, o Swift Sport não esconde ao que vem, com uma estética mais agressiva, para o que contribui a nova grelha frontal e o para-choques revisto em destaque na dianteira. As jantes têm 17 polegadas. O pilar A preto e as óticas de orientação vertical aliam-se à barra preta que percorre a zona inferior da carroçaria para conceder um aspeto musculado e desportivo ao Sport.

Na traseira encontramos um spoiler inferior com revestimento estilo fibra de carbono, bem como um escape duplo. O habitáculo exibe uns muito aconchegantes bancos desportivos, um ecrã tátil de 7” com navegação 3D, vários apontamentos a vermelho e um ambiente claramente Sport.

O Sport é feito com base no nível de topo de equipamento, que inclui um painel de instrumentos com ecrã de 4,2 polegadas, além de sistemas de segurança como o de travagem de emergência autónoma, aviso de saída de faixa, assistente de máximos e cruise control adaptativo.

Opinião

A Suzuki criou um pequeno desportivo, sem concessões a nada, com uma enorme facilidade de condução e até conforto. É mais largo, tem mais espaço de carga, chega muito bem equipado e a um preço competitivo. E é muito eficaz onde tem que ser, isto é, onde as curvas acontecem.

Os primeiros exemplares chegam a Portugal já nos primeiros dias de junho. O preço já é conhecido: 20.178 euros (inclui oferta de lançamento de 2.033 euros).

O que mais gostamos:

- resposta do motor a baixos regimes

- agilidade

- equipamento

O que menos gostamos:

- som pouco desportivo

Deixe o seu comentário