Miguel Oliveira e a queda: 'No final ficava difícil controlar a mota nalguns pontos'

Piloto da KTM caiu a cinco voltas do final quando seguia na quarta posição

0 aos 100 24/10/2021 Desporto

Miguel Oliveira mostrou-se “triste por não ter terminado” o Grande Prémio da Emilia Romagna de MotoGP.

O piloto da KTM caiu a cinco voltas do final da corrida, quando seguia na quarta posição, à frente do novo campeão mundial, o francês Fabio Quartararo (Yamaha).

“Estou triste por não ter terminado esta corrida, com as possibilidades que tínhamos de terminar no ‘top 5’, ou mesmo no pódio. Mas fiquei contente com a minha corrida. No final ficava difícil controlar a mota nalguns pontos e a queda aconteceu por isso mesmo. Mas saímos daqui contentes e de cabeça erguida para Portimão”, disse o piloto português, no final.

Veja ainda:

Agora é tempo de pensar no Grande Prémio do Algarve, dentro de duas semanas, onde Miguel Oliveira espera regressar aos lugares cimeiros, depois de ter sentido alguns problemas nos últimos meses, após a fratura sofrida no pulso direito.

“Fisicamente, estou de regresso à normalidade. Mas é um bom sinal estar lá em cima nos treinos, encontrar algum entrosamento entre mim e a mota. Espero que consigamos mantê-lo na próxima temporada”, explicou.

No entanto, o piloto de Almada lembra que, agora, “a mota é diferente de abril [o GP de Portugal de 2021 disputou-se em 18 de abril] e de novembro do ano passado [quando festejou a vitória no GP de Portugal de 2020]”.

“Temos de perceber as nossas dificuldades. Espero um bom fim de semana, com espectadores na bancada. Espero terminar a corrida e nos primeiros lugares”, concluiu.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Pub
Toyota Yaris 1.5 híbrido. Espécie evoluída