Diretor de Miguel Oliveira na KTM recusa 'favoritismo' na corrida ao título

Pit Beirer considera que 'essa pressão' deve estar do lado das equipas com mais experiência

0 aos 100 12/02/2021 Desporto

O diretor geral da KTM, Pit Beirer, recusou esta sexta-feira assumir a candidatura ao título de MotoGP, durante a apresentação da equipa austríaca, por considerar que "essa pressão" deve estar do lado das equipas com mais experiência no campeonato.

O 'patrão' do português Miguel Oliveira mostrou-se, contudo, "feliz" pelo "sonho concretizado" de ter alcançado "vitórias no campeonato", em 2020, duas delas pelas mãos do português (em Portimão e na Estíria, na Áustria).

A KTM enfrenta, em 2021, a quinta temporada como construtor na categoria rainha do Mundial de Velocidade, a MotoGP, depois de décadas de sucesso nas modalidades de fora de estrada (motocrosse, supercrosse, enduro e todo-o-terreno).

Veja ainda:

Em quatro anos, a KTM conseguiu três vitórias, todas em 2020, duas por Miguel Oliveira e a outra pelo sul-africano Brad Binder, que será este ano o companheiro do piloto de Almada na equipa oficial, hoje apresentada.

"Toda a jornada em MotoGP tem sido um sonho até agora, mas o projeto começou com o sonho de conseguirmos uma vitória nesta categoria, pelo que é espantoso olharmos para trás e vermos o que já alcançámos", frisou Pit Beirer, um antigo piloto de motocrosse que ficou paraplégico durante uma corrida do campeonato do mundo daquela modalidade.

O alemão frisou não se querer "comprometer" com a candidatura ao título mundial de MotoGP.

"Acho que essa pressão deve estar nos ombros de outros no 'paddock', mas estamos realmente satisfeitos por termos cumprido o sonho com estas vitórias em corrida. São um facto, aconteceram, pelo que agora queremos mais", sublinhou.

Já o diretor de competição da KTM, Mike Leitner, anunciou novas peças aerodinâmicas e de motor que serão estreadas nos cinco dias de testes previstos para Doha, no Qatar, antes do arranque do campeonato, em 28 de março.

Miguel Oliveira terminou a edição de 2020 do Mundial de MotoGP na nona posição, com 125 pontos e duas vitórias somadas, mais uma do que o campeão, o espanhol Joan Mir (Suzuki).

Em 2021, o piloto português cumpre a terceira época na classe rainha do Mundial de Velocidade, campeonato em que se estreou em 2011 na classe de 125cc.

Na temporada que arranca em 28 de março, no circuito de Losail, no Qatar, há 19 provas confirmadas, incluindo o GP de Portugal, que volta a realizar-se em Portimão, agora em 18 de abril.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

DS 3 Crossback BlueHDi 100. A virtude de ser diferente
Ao volante do Hyundai Kauai Hybrid. Inteligência funcional