Mazda adere aos e-combustíveis

Mazda é o primeiro construtor a integrar a eFuel Alliance

0 aos 100 05/02/2021 Noticias

A Mazda anunciou que se tornou no primeiro construtor de automóveis a integrar a eFuel Alliance, que reúne organizações e partes interessadas no apoio ao objetivo de estabelecer e promover os e-combustíveis (combustíveis ecológicos ou e-fuels) e o hidrogénio, como contribuintes credíveis e reais para a redução de emissões no sector dos transportes.

Juntamente com a eFuel Alliance e os seus membros, a fabricante japonesa apoia a implementação de um mecanismo que tenha em conta a contribuição dos combustíveis renováveis e com baixo teor de carbono, na redução das emissões dos automóveis de passageiros, e que também contribua para o processo de tomada de decisões, precisamente no momento em que a UE está a rever a legislação climática.

Veja ainda:

Comentando o facto de a Mazda ser o primeiro construtor automóvel a aderir à Aliança, Wojciech Halarewicz, Vice-Presidente de Comunicação e Relações Públicas da Mazda Motor Europe GmbH, afirmou:

“Como indústria, temos de reduzir as emissões tanto quanto possível. Para o efeito, não devemos ignorar nenhuma das vias disponíveis ao nosso alcance. As emissões de gases com efeito de estufa e as alterações climáticas são, por natureza, uma questão global e complexa, requerendo uma abordagem integrada. Todos os sectores e indústrias devem desempenhar o seu papel e, acima de tudo, devem ter a oportunidade de partilhar quaisquer opções positivas, de forma a alcançar os objectivos climáticos”.

“Acreditamos que, com o investimento necessário, os e-fuels e o hidrogénio, ambos neutros em CO2, irão dar um contributo credível e real para a redução das emissões, não só nos automóveis novos, como também no parque automóvel já existente. Isto abriria uma segunda e mais rápida via para alcançar a neutralidade climática no sector dos transportes, em conjunto com o progresso da electrificação. Dado que, no final deste ano, a UE irá rever a sua regulamentação sobre normas de CO2 para carros de turismo e veículos comerciais, esta é a oportunidade para garantir que a nova legislação permita que, tanto os veículos eléctricos como os veículos que funcionam com combustíveis neutros em CO2, possam contribuir para os esforços dos fabricantes de automóveis em termos de redução de emissões”, acrescentou.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Mercedes-Benz B 250e: ora elétrico, ora gasolina!
Toyota Corolla Touring Sports TREK, uma carrinha com 'alma' SUV