Nova lei dos híbridos representa um 'aumento significativo do preço das viaturas menos poluentes'

Alteração traduzir-se-á num aumento da tributação (em alguns casos, para a dobro) dos automóveis híbridos e plug-in

0 aos 100 26/11/2020 Noticias

A Honda Portugal Automóveis manifestou a sua posição contra a limitação aos incentivos fiscais para viaturas híbridas e plug-in híbridas. Medida que, segundo o importador nacional da marca japonesa, “representa um aumento significativo no preço das viaturas menos poluentes”.

Em comunicado, o importador da marca japonesa manifesta o “profundo desacordo com a aprovação da limitação aos incentivos fiscais para viaturas híbridas e plug-in híbridas, inscrita no Orçamento do Estado de 2021, aprovado hoje na globalidade".

Para a Honda, "a imposição precipitada de uma medida com consequências tão graves, quer para o setor quer para o ambiente, sem uma discussão prévia com os principais intervenientes, é incompreensível e constitui uma enorme irresponsabilidade".

Veja ainda:

O impacto desta medida, segundo a Honda, traduzir-se-á num aumento da tributação (em alguns casos, para a dobro) dos automóveis híbridos e plug-in, isto é, de viaturas objetivamente mais amigas do ambiente.

"Isto significa que, por um lado, os portugueses irão pagar mais por automóveis menos poluentes o que, naturalmente, implicará uma desaceleração da procura por este tipo de motorizações. Por outro lado, no nosso entender, as viaturas elétricas não constituem uma alternativa viável para condutores de viaturas híbridas e plug-in, dadas as suas rotinas de utilização, pelo que a sua escolha recairá por motorizações a combustão e o impacto da medida agora aprovada será, assim, contraproducente", sublinha o importador.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

DS 3 Crossback BlueHDi 100. A virtude de ser diferente
Ensaio ao Renault Clio RS Line TCe 130 EDC: Faceta desportiva