Miguel Oliveira explica que vento 'deixou a mota muito nervosa'

Português chegou a rodar em quarto, mas acabou no sexto lugar

0 aos 100 15/11/2020 Desporto

Miguel Oliveira admitiu que o vento sentido a meio do Grande Prémio da Comunidade Valenciana de MotoGP deixou a sua mota "muito nervosa" e difícil de pilotar.

O piloto português terminou esta penúltima corrida da temporada na sexta posição, a 7,272 segundos do vencedor, o italo-brasileiro Franco Morbidelli (Yamaha).

"Estou contente com esta corrida. Na verdade, a metade da corrida custou-me um bocadinho manter o meu ritmo. Perdi a aderência atrás. Talvez por causa do vento a mota ficou muito nervosa. A diferença não era muita, uma décima e meia em dois pontos cruciais [do circuito], o que me fez perder o contacto com os da frente", explicou o piloto de Almada.

Veja ainda:

Oliveira lembrou ainda que "a corrida foi mais rápida do que na semana passada", pelo que acabou por ser "mais competitivo", apesar de ter ficado uma posição abaixo.

"Fica o bom arranque, subindo de décimo a quinto. Agora vou para o Grande Prémio de casa motivado, com o objetivo de me divertir nesta última corrida", concluiu.

Com este resultado, o piloto luso manteve o décimo lugar do campeonato, agora com 100 pontos.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Ensaio ao Renault Clio RS Line TCe 130 EDC: Faceta desportiva
DS 3 Crossback BlueHDi 100. A virtude de ser diferente