O 6 cilindros em linha da Mazda já é real em versões Diesel e gasolina

Primeira imagem dos motores de seis cilindros em linha do futuro Mazda6

0 aos 100 11/11/2020 Noticias

Os motores de 6 cilindros em linha estão na moda e já não são exclusividade da BMW. Construtores como Mercedes-Benz ou Jaguar Land Rover regressaram a este tipo de configurações, sendo agora a Mazda quem confirmou o lançamento de motores 6 em linha a diesel e gasolina. O objetivo? Subir um degrau em desempenho e imagem, aproveitando o lançamento do próximo Mazda6, que terá tração traseira e posicionamento mais Premium.

Esta nova família de motores é concebida como uma nova geração de mecânicas Skyactiv, aproveitando as melhorias e soluções aplicadas a estes motores para subir um patamar no desempenho, criando uma mecânica de 6 cilindros que a marca japonesa não conhecia na sua gama até à data.

Agora, a Mazda, sem adiantar detalhes e sem entrar em dados específicos, libertou uma imagem destes motores de 6 cilindros em linha, e fez isso durante a apresentação dos resultados económicos do último trimestre.

Veja ainda:

Sabe-se apenas que o lançamento está previsto para o final de 2022, em simultâneo com o novo Mazda6, que terá um posicionamento diferenciado, em estilo e mecânica, para atacar o mercado Premium, dominado pelos alemães.

Esta mecânica em linha de 6 cilindros terá uma posição longitudinal, utilizando tecnologia micro-híbrida de 48 volts, associada a transmissões automáticas e tração traseira ou total. Fala-se em cilindradas de 3,0 e 3,3 litros.

Os planos da Mazda apontam um bloco de 6 cilindros que será comercializado nas versões diesel e gasolina, o que é confirmado pela imagem adiantada. O que ainda não se sabe é se o motor também vai beneficiar do sistema Skyactiv-X, algo que pode ser fundamental para mercados como a Europa, devido aos seus benefícios na redução de emissões.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Ao volante do Hyundai Kauai Hybrid. Inteligência funcional
DS 3 Crossback BlueHDi 100. A virtude de ser diferente