Porsche quer combustíveis sintéticos para os seus atuais motores

Construtor alemão procura uma solução que torne os motores a gasolina neutros em carbono

0 aos 100 06/09/2020 Noticias

A Porsche está entusiasmada com o potencial dos veículos eletrificados, combinando uma gama de híbridos plug-in com elétricos. Mas não é suficiente, a marca alemã considera que o 911 deve ser o último modelo a ser eletrificado, mas só antes de esgotar todas as possibilidades que a tecnologia coloca à sua disposição.

A decisão de encontrar alternativas para manter os motores de combustão atuais baseia-se numa única premissa, as características de marca desportiva. Este é o principal, mas também envolve outro, o som que os seus motores emitem e que os clientes tanto gostam.

Veja ainda:

Os engenheiros da Porsche já realizam estudos e testes com combustíveis sintéticos, cujo problema é a produção em massa. Os técnicos apontam benefícios significativos: primeiro, a queima mais limpa, uma vez que não têm aditivos, mas o mais importante é que mantêm propriedades de desempenho com menos consumo de combustível e emissões.

O responsável pela Investigação e Desenvolvimento na Porsche, Michael Steiner, realça que os motores atuais podem trabalhar com combustíveis sintéticos, tanto em separado como combinados com gasolina e gasóleo atual, reduzindo as emissões.

Inclusivamente, aponta que seria uma opção viável para os modelos clássicos da Porsche. Uma solução mais interessante que também seria uma vantagem para os híbridos plug-in.

O responsável também falou sobre célula de combustível ou fuel-cell. Muitos fabricantes trabalham nesta solução que, por enquanto, é muito cara, mas muito eficiente.

“Em geral, a célula a combustível não é a primeira escolha para nós. É muito volumoso, muito pesado e pouco dinâmico em termos de entrega de potência para ter uma oportunidade num Porsche”, explicou Steiner.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Ensaio ao Renault Clio RS Line TCe 130 EDC: Faceta desportiva
DS 3 Crossback BlueHDi 100. A virtude de ser diferente