Grenadier já não vai ser português. Ineos desiste de fábrica em Estarreja

Investimento de 300 milhões de euros fica em suspenso

0 aos 100 04/07/2020 Noticias

A empresa britânica Ineos Automotive suspendeu a construção da fábrica do Grenadier, o jipe inspirado no Land Rover Defender, em Estarreja. A decisão é justificada com a crise causada pela pandemia do Covid-19.   

A Câmara de Estarreja diz que se trata de uma "triste notícia" para o município e "constitui um duro golpe para o município estarrejense".

A decisão, explica o Presidente da Câmara Municipal, Diamantino Sabina, "não teve absolutamente nada a ver com uma mudança da visão de Estarreja/Portugal como local de produção, a empresa aponta como principal razão para esta decisão a mudança de paradigma devido à diminuição da produção regular dos fabricantes de automóveis na Europa, forçada pela previsão de redução das vendas no setor automóvel na ordem dos 20% a 30% para os próximos anos".

A INEOS aponta que foi forçada a rever o investimento previsto, face "à mudança de paradigma, devido à diminuição da produção regular dos fabricantes de automóveis na Europa".

O fabricante salienta que a previsão para o setor automóvel é de vir a registar "uma quebra de vendas na ordem dos 20% a 30%, para os próximos anos".

Veja ainda:

O CEO da Ineos Automotive, Dirk Heilmann, justificou que "o novo cenário permitirá à INEOS produzir o Grenadier numa unidade industrial já em funcionamento".

Irá assim "usufruir da força de trabalho com histórico de construção na área automóvel e da capacidade técnica instalada, que possibilita a fabricação de outro produto".

O recurso a uma das fábricas do grupo já existentes, na ótica do administrador, "anula os riscos inerentes à construção e arranque de uma nova unidade fabril".

A fábrida de Estarreja destinava-se a produzir componentes do chassis e da carroçaria do modelo que foi apresentados nos últimos dias e que entrará em produção em 2021 numa nova fábrica especificamente construída para o efeito em Bridgend, no País de Gales.

O veículo, que contará com motores a gasóleo de seis cilindros e 3 litros de cilindrada de origem BMW, será distribuído em várias regiões em todo o mundo: Europa, África, Américas, Médio Oriente, Sudeste Asiático e Oceânia.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Peugeot 508 2.0 HDi 160cv GT Line: Grande 'espada'
Ensaio ao Mazda3 1.8 Skyactiv-D 116cv Evolve: Direto ao topo