Miguel Oliveira preparado para o regresso do MotoGP: 'Irei entrar a pontuar com o objetivo bem definido'

Temporada arranca a 19 de julho, no circuito de Jerez de La Frontera

0 aos 100 21/06/2020 Desporto

Andar no top 10 do MotoGP em 2020 é o objetivo do português Miguel Oliveira (KTM), a pouco menos de um mês do arranque do Mundial de motociclismo de velocidade, em 19 de julho, no circuito de Jerez, em Espanha.

"Irei entrar a pontuar, com objetivo bem definido de estar sempre nos pontos, no top 10, como se fosse um campeonato numa situação normal", afirmou o piloto natural de Almada, em entrevista à agência Lusa.

O arranque do campeonato do mundo estava previsto para 8 de março, no Catar, mas a pandemia de covid-19 levou ao reajuste do calendário, tendo como primeira prova o Grande Prémio de Espanha, em Jerez de la Frontera.

Estão marcadas 13 corridas, todas em solo europeu, cinco das quais em formato de jornadas duplas, incluindo as últimas dias, em 8 e 15 de novembro, em Valência.

Miguel Oliveira admitiu que o encurtamento do calendário pode levar os pilotos a "adotarem diferentes estratégias", uns a aproveitarem "cada corrida como fosse a última" e outros a terem "uma abordagem mais cautelosa", procurando pontuar nas primeiras provas, "por não haver muitas oportunidades" para o fazer.

No entanto, o português considera que este campeonato disputado "em condições únicas" vai conferir um "grande desgaste físico e no qual os erros podem sair caros", já que muitas das provas acontecem em semanas consecutivas.

"Vamos fazer muitas corridas em três fins de semana seguidos e quem cair vai sofrer consequências de imediato, mas o positivo é que pode haver a sensação de que podemos voltar à pista e emendar os erros", destacou.

Veja ainda:

Miguel Oliveira mostrou-se confiante que o campeonato "siga até ao fim", tendo em conta a evolução da pandemia a nível mundial e a vontade da organização que a competição aconteça.

Apesar da ausência de competição, este tempo de paragem permitiu a Miguel Oliveira receber "uma prenda", com a possibilidade de se concentrar na recuperação da lesão no ombro, que garantiu "está a 100%".

No entanto, a preparação física "nunca parou", frisou à Lusa Miguel Oliveira, à margem de uma ação de formação para pilotos no Autódromo Internacional do Algarve, em Portimão.

Foi no circuito algarvio que Miguel Oliveira ensaiou o regresso à competição, no passado fim de semana, quando venceu as duas primeiras corridas do nacional de superbikes, procurando estar "o maior tempo possível em contacto com a moto".

Relativamente à covid-19, o piloto, que frequenta o curso de medicina dentária, congratulou-se pelos resultados no combate à pandemia em Portugal. "Não podemos deixar que esse orgulho nos faça descuidar, por isso temos de continuar a ter uma atitude cautelosa e responsável. Tudo o que dependa do nosso bom senso temos de o usar, sem dúvida nenhuma", alertou.

Miguel Oliveira vai cumprir o seu segundo ano em MotoGP, a classe rainha do Mundial de velocidade de motociclismo, depois de ter sido 17.º classificado em 2019, com um total de 33 pontos.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Peugeot 508 2.0 HDi 160cv GT Line: Grande 'espada'
Ensaio ao Mazda3 1.8 Skyactiv-D 116cv Evolve: Direto ao topo