Vêm aí mais radares

Novos radares vão ser instalados em 50 novos locais

0 aos 100 29/05/2020 Noticias

A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) vai gastar cerca de 1,6 milhões de euros até 2022 para a instalação e manutenção do sistema de radares de controlo de velocidade no país.

A portaria publicada agora em Diário da República autoriza a ANSR a assumir os encargos orçamentais relativos ao desenvolvimento dos procedimentos legais e adequados à operacionalização do Sistema Nacional de Controlo de Velocidade (SINCRO), uma das medidas previstas na Estratégia Nacional de Segurança Rodoviária (PENSE 2020) e que já devia estar concretizada.

Segundo a portaria, a ANSR pode gastar cerca de 1,6 milhões de euros entre 2020 e 2022 com o SINCRO, estando estipulado para cada ano a verba de aproximadamente 539 mil euros.

Veja ainda:

O montante de cerca de 1,6 milhões de euros destinam-se aos encargos orçamentais relativos ao desenvolvimento dos procedimentos legais e adequados à operacionalização do SINCRO, como sejam a aquisição de serviços de manutenção das cabinas e dos cinemómetros dos 50 locais de controlo de velocidade, manutenção da aplicação informática do Sistema de Gestão de Eventos de Trânsito (SIGET) e de operação funcional do SIGET, refere a portaria.

Segundo do documento, revelado pela «Agência Lusa» a promoção do cumprimento dos limites de velocidade legalmente estabelecidos e, consequentemente, o combate à prática de velocidades excessivas com recurso à fiscalização permanente e automática da velocidade de cada veículo em cada local de controlo constituem os principais objetivos específicos do SINCRO.

O sistema de radares, que vai ser agora instalado em 50 locais, vai juntar-se ao primeiro SINCRO que existe no país desde 2016.

O SINCRO permite detetar automaticamente a infração por excesso de velocidade e é atualmente composto por 40 radares móveis que são instalados em 50 locais considerados críticos.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Peugeot 508 2.0 HDi 160cv GT Line: Grande 'espada'
Ensaio ao Mazda3 1.8 Skyactiv-D 116cv Evolve: Direto ao topo