Conselhos para preparar o carro após o confinamento

Quando um veículo fica mais de um mês sem funcionar, convém prepará-lo para que esteja em perfeitas condições quando o voltar a ligar

0 aos 100 05/05/2020 Noticias

Devido à situação atual, as ruas das cidades estão sem pessoas… e sem viaturas. O acesso às grandes cidades como foi significativamente reduzido e o acesso transfronteiriço reduzido em 80 por cento. Como se devem preparar os veículos para o regresso à normalidade? Aqui vão quatro recomendações para que o veículo esteja pronto a rodar quando o mundo também estiver.

  • Verificar os níveis. Antes de iniciar a marcha devem ser revistos os niveís do liquido refrigerador e do óleo do motor. “Depois de o ligar, é aconselhável deixar o motor a trabalhar durante alguns minutos antes de circular. Assim os liquidos circulam por todos os circuitos e lubrificam todas as peças”, aconselha Josep Almasqué, responsável pela oficina de automóveis de imprensa da SEAT. É importante observar se não há manchas no chão, especialmente na zona do motor.

 

  • Controlar a pressão dos pneus. Quando se fica muito tempo sem se conduzir a viatura, a pressão dos pneus diminui. Isto acontece devido ao processo de permeabilidade, em que os pneus vão perdendo um pouco de ar cada dia, um fenómeno que é mais habitual no verão. Se o veículo estiver parado e os pneus se forem esvaziando, o peso do carro pode danificar a jante e deformar o pneu. “O indicado, se soubermos que o veículo vai estar parado durante muito tempo, é encher os pneus na capacidade máxima recomendada pelo fabricante e verificar periodicamente a pressão. Antes de iniciarmos a marcha, temos de verificar a pressão novamente e colocá-la na indicada para circular ”, assegura Josep Almasqué.

  • Duplo check. Com o veículo parado, há que fazer uma verificação de todos os elementos utilizados durante a circulação: luzes, piscas, janelas, limpa pára-brisas e todos os dispositivos eletrónicos. Esta informação é fácil de obter ao ligar o infotainment do veículo. “Se algo não estiver a funcionar corretamente, acender-se-á uma luz de aviso no visor que indicará o que precisa ser verificado. Além disso, é importante rever se todos os assistentes que utilizamos estão conectados com as definições que pré-determinámos”, segundo Josep Almasqué. Também se deve verificar o estado dos travões. Para isso, recomenda-se pisar no pedal durante uns segundos e perceber se mantém a sua posição. E, por último, constatar que não se ouve nenhum ruído invulgar ao ligar o motor. 

 

  • Pontos a desinfectar. É importante limpar o veículo com ênfase nas áreas de maior contacto, tanto no exterior como no interior da viatura

 

Os básicos. Pegas exteriores e interiores, volante, manete das mudanças, ecrã tátil, manípulos de indicador de mudança de direção, da posição dos bancos e das janelas.

Painel de instrumentos. É um dos focos mais importantes, já que é normal espirrar ou tossir na sua direção.

Tapetes. Neles acumula-se muita sujidade que entra através dos sapatos.

Ventilação. Para garantir a qualidade do ar, deve-se evitar que as grelhas de ventilação estejam obstruídas. Além de as desinfetar, deve-se eliminar o pó com um pincel ou aspirador.

Exterior. Embora não nos apercebamos, manipulamos muitas zonas exteriores do carro, além das pegas. Apoiamo-nos nas janelas, abrimos segurando a moldura ou fechamos empurrando as portas. É importante utilizar os produtos adequados: água e sabão, produtos específicos para o carro e, em menor medida, liquidos que contenham 70% de álcool.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Ensaio ao Mazda3 1.8 Skyactiv-D 116cv Evolve: Direto ao topo
Peugeot 508 2.0 HDi 160cv GT Line: Grande 'espada'