Nem imagina do que são feitos os bancos do novo Audi A3

Mais de 100 garrafas recicladas são utilizadas num único A3

0 aos 100 11/03/2020 Noticias

A indústria da moda produz joias, roupas e malas utilizando garrafas recicladas PET (Polietileno Tereftalato) como matéria prima. Além disso, cada vez mais móveis são fabricados a partir de vários resíduos, como papelão, garrafas de plástico e aglomerados de madeira. Agora, e pela primeira vez, a Audi utiliza materiais à base de garrafas de plásticos recicladas para o revestimento dos bancos do novo A3.

Até 89% do tecido utilizado é feito de garrafas recicladas PET, que são transformadas em fios através de um elaborado processo de produção.

O depósito de garrafas de plástico a troco de talões de desconto nos supermercados é já uma prática corrente na Alemanha, recebendo o cliente 0,25 euros. Mas o que acontece depois? 

Ainda na zona do supermercado, as garrafas são prensadas, a fim de economizar espaço para o transporte em camiões. Depois de chegarem à fábrica de reciclagem, são classificadas por cor, tamanho e qualidade, e moídas em grandes máquinas de trituração, sendo transformadas em flocos de plástico. Esses pequenos pedaços de plástico passam por um processo de lavagem e descontaminação e, posteriormente, o PET em flocos, limpo e descontaminado, está pronto para a máquina de extrusão, que derrete e molda o plástico.

Veja ainda:

Mais de 100 garrafas recicladas são utilizadas num único A3 São utilizadas até 45 garrafas PET com capacidade de 1,5 litros por conjunto de bancos. Além disso, mais 62 garrafas PET são recicladas para os tapetes do novo Audi A3. O material plástico reciclado é utilizado também no acabamento plástico do porta-bagagens e nos isolantes térmicos e acústicos do habitáculo.

O objetivo é claro: a percentagem de material reciclado em toda a oferta da Audi deve aumentar consideravelmente nos próximos anos.

Atualmente, o revestimento do banco ainda não é totalmente fabricado com material reciclável. «O nosso maior desafio está na união entre a camada inferior e a superior do tecido, que é unida com material adesivo. Estamos a trabalhar para substituí-lo por poliéster reciclável», explica Ute Grönheim, responsável pelo desenvolvimento de materiais na divisão de têxteis da Audi.

«O nosso objetivo é fabricar totalmente o revestimento do banco a partir de material sem quaisquer misturas, para que possa ser novamente reciclado. E já não estamos muito longe para que isso aconteça», acrescenta Grönheim. A longo prazo, todos os estofos dos bancos em todas as gamas e modelos serão fabricados com material reciclado.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

DS 3 Crossback BlueHDi 100. A virtude de ser diferente
Ensaio ao Renault Clio RS Line TCe 130 EDC: Faceta desportiva