Diretor do Dakar sobre morte de Paulo Gonçalves: 'Não sabemos as circunstâncias, era um segmento rápido'

Diretor da corrida falou ainda na tenacidade do piloto que ainda há dias mudou o motor

0 aos 100 12/01/2020 Desporto

O diretor do Dakar2020, o francês David Castera, salientou este domingo a tenacidade de Paulo Gonçalves, que há poucos dias mudava o motor da sua mota e este domingo morreu na sétima etapa da corrida.

"Paulo era meu companheiro, estava no Dakar há muito tempo, toda a gente o conhecia. Há cinco etapas estava a mudar o motor da sua mota, era muito tenaz. Conhecia os riscos de um rali, quando o pior acontece é muito difícil para todos", disse.

Castera, que este ano substituiu Etienne Lavigne na direção da mítica corrida, explicou, num vídeo divulgado pela organização e que homenageia o piloto português, não se saber muito sobre o acidente ao quilómetro 273.

"Não sabemos as circunstâncias, era um segmento rápido e foi onde o Paulo teve o acidente, os médicos tentaram reanimá-lo, mas, infelizmente, não conseguiram e ele morreu ao quilómetro 273 da sétima etapa", explicou.

Veja ainda:

O vídeo, publicado na página oficial da competição, fala em "dia negro no Dakar2020" e mostra depoimentos de Ricky Braber, da Honda, por onde Paulo Gonçalves passou, ou dos campeoníssimos Stéphane Peterhansel e Carlos Sainz.

"Nunca sabemos o que vai acontecer, hoje perdemos um dos nossos, o Paulo Gonçalves", referiu Braber, enquanto Peterhansel falou das dúvidas que estas situações colocam em relação à importância da competição e Sainz falou na tristeza de todos.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

DS 3 Crossback BlueHDi 100. A virtude de ser diferente
Ensaio ao Renault Clio RS Line TCe 130 EDC: Faceta desportiva