Presidente da FIM: Paulo Gonçalves era 'um exemplo como piloto e como pessoa'

Jorge Viegas recebeu a notícia através do diretor do Dakar, David Castera, que lhe deu conta da queda do português numa reta, algo 'estranho'

0 aos 100 12/01/2020 Desporto

O presidente da Federação Internacional de Motociclismo (FIM), o português Jorge Viegas, considerou esta domingo, em declarações à Agência Lusa, que "o motociclismo português está de luto muito carregado" na sequência da morte de Paulo Gonçalves no Dakar.

"Não posso estar mais triste. Era um piloto que adorava e que conhecia desde pequenino. Era um exemplo como piloto e como pessoa", começou por dizer Jorge Viegas à Lusa.

O antigo presidente da Federação de Motociclismo de Portugal revelou ter sido acordado por David Castera, o diretor da prova. “Disse-me que o encontraram já morto. Foi em reta, o que é estranho. Não sabem o que aconteceu", contou.

O presidente da FIM aproveitou para "endereçar mais sentidos pêsames à família".

“O motociclismo português está de luto muito carregado. O Paulo era sempre uma alegria onde chegava e era muito boa pessoa", concluiu Jorge Viegas.

Também Marcelo Rebelo de Sousa lamentou a morte do piloto Paulo Gonçalves, enviando as condolências à família. 

"O Presidente Marcelo Rebelo de Sousa lamenta a morte do motociclista Paulo Gonçalves na sequência de um acidente no Rally Dakar e apresenta à família enlutada as mais sentidas condolências", pode ler-se.

Na nota, o Presidente da República escreve que o piloto foi um "dignissimo representante de Portugal.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Ensaio ao Mazda3 1.8 Skyactiv-D 116cv Evolve: Direto ao topo
Peugeot 508 2.0 HDi 160cv GT Line: Grande 'espada'