BMW garante motores a combustão por mais 30 anos

Contudo, há motores que ficarão pelo caminho mais cedo, devido às normas de emissões de CO2 cada vez mais apertadas

0 aos 100 07/01/2020 Noticias

A BMW voltou a reafirmar a continuidade dos motores de combustão, apesar da ofensiva de carros elétricos para os próximos anos, garantindo que os motores de quatro e seis cilindros turbodiesel têm continuidade assegurada pelo menos por vinte anos. Já os gasolina estarão disponíveis pelo menos por mais trinta anos.

Em entrevista à Automotive News Europe, o responsável de pesquisa e desenvolvimento da marca alemã, Klaus Froehlich, revelou, contudo, que há motores que ficarão pelo caminho mais cedo, devido às normas de emissões de CO2 cada vez mais apertadas na Europa.

É o caso do V12, disponível entre outros no M760i xDrive, uma vez que as “escassas dezenas de unidades por ano” que a BMW produz deste motor o tornam pouco rentável. Outro motor com "morte" anunciada é o V8 4.4 biturbo, agora que já existe na gama um seis cilindros “eletrificado” com 600 cv. Ou seja, tudo indica que os motores a gasolina na BMW sejam limitados a 3, 4 e 6 cilindros, desaparecendo assim os V8 e V12.

Entre os Diesel, Froehlich adiantou que dois motores têm "morte" assegurada, o três cilindros 1.5 do 116d, por exemplo, e o seis cilindros 3.0 de quatro turbos que equipa os modelos M550d e M50d, algo que acontecerá já este ano.

Veja ainda:

Froehlich adiantou ainda que a atualização da plataforma modular CLAR em 2021 permitirá que os híbridos plug-in tenham uma autonomia elétrica até 120 km, além de que o novo i4 será basicamente uma versão elétrica do Série 3.

Por fim, garantiu que provavelmente já no próximo ano arrancará a produção de modelos com pilha de combustível (a hidrogénio) com um X6 e um X7.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Ensaio ao Renault Clio RS Line TCe 130 EDC: Faceta desportiva
DS 3 Crossback BlueHDi 100. A virtude de ser diferente