Porsche explica a origem do nome '911'

Como começou por chamar-se o Porsche 911?

Miguel Costa 29/12/2017

A última adição ao Museu da Porsche em Estugarda é um 901 maravilhosamente restaurado. Agora a Porsche explica porque é que um “punhado” de exemplares ostenteam este estranho código de três digitos ao invés do mais emblemático 911.

Quando foi lançado o Porsche 911 chamava-se 901, mas a Peugeot ameaçou o construtor alemão com um processo judicial porque tinha garantido por via legal todos os números compostos por 3 algarismos com o 0 no meio para identificar os seus modelos.

A Porsche chegou a uma solução bastante simples. Já estava a produzir números 9, 0 e 1 separados para os seus modelos. Em lugar de tentar encontrar um nome completamente diferente, a empresa simplesmente substituiu o 0 por um extra 1, e o resultado foi o agora emblemático 911.

O recém-restaurado 901 que está agora em exposição foi o número 57 a sair da fábrica. Em 2014, uma equipa de televisão alemã, que trabalhava para um programa de antiguidades, tropeçou em dois modelos 911 dos anos 60 esquecidos num celeiro.

O Museu Porsche decidiu comprar ambos os 911 ao preço estimado, determinado por um especialista independente, e, ao fazê-lo, eliminou uma lacuna na sua coleção de veículos clássicos produzidos pela marca. Foi completamente restaurado e agora faz parte da exposição especial “911 (901 Nº 57) – A lenda está pronta” que decorrerá até 8 de abril de 2018.

Entre os poucos 901 construídos, a Porsche contratou a Karmann para construir um descapotável único como um protótipo. A RM Sotheby's levou este carro único a leilão em Paris, em fevereiro de 2017. Foi vendido por algo como 649.600 euros.

Deixe o seu comentário