Modelos da AMG em risco

Emissões podem ditar o desaparecimento de várias versões e motores da AMG

0 aos 100 21/12/2019 Noticias

A Mercedes-AMG poderá ter a sua gama reduzida em três quartos (cerca de 75 por cento) já no próximo ano, devido à necessidade de cumprimento das normas de emissões de CO2, avança o Financial Times.

A redução da gama poderá ser a única solução, pelo menos, imediata, para cumprir a meta de ter uma média de emissões abaixo dos 100 g/km – numa altura em que a média atual é de 138 g/km. Em caso de incumprimento, o construtor poderá enfrentar avultadas multas – algo como 13,9 mil milhões de euros caso se mantenha a média de 138 g/km.

O analista da área automóvel, Max Warburton, diz que esta redução da gama AMG será “catastrófica do ponto de vista da rentabilidade”.

Veja ainda:

Entre as “vítimas” poderá estar o 4.0 V8 biturbo, mas também alguns 3.0 de seis cilindros podem estar em perigo. Uma das alternativas é avançar com a troca do motor 4.0 V8 pelo 2.0 de quatro cilindros (o mesmo do A45 com 421cv), auxiliado por um ou dois motores eléctricos das versões híbridas plug-in (PHEV), algo que permitiria um salto para 500 ou 600 cv.

Outra possibilidade que poderá estar em cima da mesa é a Mercedes-Benz “comprar” emissões a outro fabricante de modo a baixar a sua média, à semelhança do que a FCA fez com a Tesla em abril passado.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

DS 3 Crossback BlueHDi 100. A virtude de ser diferente
Ensaio ao Renault Clio RS Line TCe 130 EDC: Faceta desportiva