Alfa Romeo e Maserati com motores de seis cilindros em linha?

Novo motor destina-se a substituir o Pentastar V6 3.2 e 3.6, mas também o Hemi V8 5.7, será também utilizado nos futuros modelos da Alfa Romeo e Maserati

0 aos 100 15/11/2019 Noticias

A Fiat Chrysler Automobiles (FCA) está a desenvolver um novo motor a gasolina de seis cilindros em linha. O motor, conhecido pelos nomes de código GME-T6 (Global Engine Turbo-6) e Tornado, destina-se a substituir o Pentastar V6 3.2 e 3.6, mas também o Hemi V8 5.7, será igualmente utilizado nos futuros modelos da Alfa Romeo e Maserati, por exemplo.

As patentes que vieram agora a público deixam ver que o motor surge com um novo sistema de recirculação de gases de escape patenteado. Informações preliminares avançam que este motor conta com um turbo elétrico E-Booster (que reduz a resposta do turbo e permite mais 25% de potência), 3.0 de cilindrada, permitindo uma faixa de potência entre 360 e 525 cv.

Veja ainda:

Este motor terá versão com apenas um turbo de dupla entrada para as marcas Chrysler, Dodge, Jeep e Ram e uma versão com dois turbos, provavelmente com cabeças dos cilindros diferentes, para os modelos da Alfa Romeo, Maserati e SRT. O bloco Tornado 3.0 é uma evolução do atual Hurricane 2.0 GME de quatro cilindros.

O primeiro modelo a estrear este motor deverá ser o Jeep Grand Cherokee em 2020 ou no novo Wagoneer.

Porquê seis cilindros em linha e não em V?

O desenvolvimento de um motor de seis cilindros em linha ao invês de um V6, uma tendência que vem a crescer, já adotada também pela Mercedes-Benz, é explicada porque são motores mais baratos de fabricar e desenvolver.

Por exemplo, não há duas cabeças por motor, não há dois coletores de escape, não há duas árvores de cames, etc. Quase tudo se divide por dois em relação a um motor V6, o que se reflete na manutenção, uma vez que é menos "sensível".

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Peugeot 508 2.0 HDi 160cv GT Line: Grande 'espada'
Ensaio ao Mazda3 1.8 Skyactiv-D 116cv Evolve: Direto ao topo