'Schumacher pensou em abandonar F1 depois da morte de Senna'

Antigo diretor desportivo da Benetton faz revelação

0 aos 100 11/11/2019 Desporto

A morte de Ayrton Senna naquele fatídico dia 1 de maio de 1994, em Imola, quase levou Michael Schumacher a abandonar a Fórmula 1. A revelação foi feita por Flavio Briatore, diretor da equipa Benetton entre 1990 e 1997.

"O Schumacher era o Pavarotti da condução. Mudou depois da morte do Ayrton Senna. Ele considerou seriamente abandonar a Fórmula 1. Felizmente para todos, ficou", afirmou o italiano ao jornal alemão "Kölner Express".

Veja ainda:

O antigo diretor da Benetton lembrou ainda porque decidiu contratar o jovem Schumacher naquele tempo. 

"A verdade é que não tinhamos dinheiro para contratar um bom piloto. Um campeão mundial, uma estrela. Eles [outras equipas] riram-se de nós. Foi por isso que tivemos de procurar um talento. Para as equipas de Fórmula 1 já estabelecidas, nós eramos um perigo. Um fabricante de camisolas que batia as lendas. Eles reclamavam, mas quando viram o Michael [Schumacher] no carro, calaram-se todos", afirmou.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Ensaio ao Mazda3 1.8 Skyactiv-D 116cv Evolve: Direto ao topo
Peugeot 508 2.0 HDi 160cv GT Line: Grande 'espada'