Acabou a espera. É assim o Porsche Taycan

Primeiro elétrico da Porsche chega com até 761cv e uma aceleração dos 0 aos 100 km/h em apenas 2,8 segundos

0 aos 100 04/09/2019 Noticias

O primeiro elétrico de produção em série da Porsche, o Taycan, foi oficialmente apresentado. E a espera valeu a pena. No papel, o Porsche Taycan é tão bom quanto o anunciado: até 761cv (560 quilowatts) e 1.049 de binário máximo na versão mais potente da gama, o Taycan Turbo S com função Overboost (616cv em condições normais).

A potência é oriunda de dois motores elétricos: um no eixo dianteiro e outro na traseira. O sistema de tração às quatro rodas e a transmissão de duas velocidades - exclusiva da Porsche - permitem uma aceleração dos 0 aos 100 km/h em apenas 2,8 segundos e uma velocidade máxima de 260 km/h. Toda esta performance emparelha com um chassis que a Porsche promete manter intacta a dinâmica do construtor alemão.

Em termos estéticos, mantém praticamente inalterado o desenho do Mission E, o protótipo que deu origem ao Taycan, destacando-se pelos faróis quad-LED e uma grelha reduzida ao mínimo, enquanto a traseira adota algumas das formas encontradas no atual 911. 

Veja ainda:

Lá dentro, existem quatro enormes ecrãs (incluindo um para o passageiro). O mais impressionante é o ecrã curvo de 16,8 polegadas posicionado no topo da coluna de direção e o ecrã tátil de 10,9 polegadas na consola central. De resto, o desenho é todo Porsche, seguindo o desenho utilizado no último 911, Panamera e Cayenne.

"Motores" Turbo e Turbo S

Atenção, não deixe que as designações Turbo e Turbo S do Taycan o enganem, este é um veículo totalmente elétrico. Alimentados por dois motores elétricos (um no eixo dianteiro e outro na traseira), o Taycan Turbo e o Turbo S debitam 616cv (460 kW), mas com o sistema de Launch Control e função Overboost o primeiro é capaz de debitar até 680cv (500 kW) e o Turbo S até 761cv (560 kW).

O Taycan Turbo S acelera dos zero aos 100 km/h em 2,8 segundos, enquanto o Taycan Turbo completa esta prova em 3,2 segundos. O Turbo S tem uma autonomia até 412 quilómetros e o Turbo uma autonomia até 450 quilómetros (de acordo com o ciclo WLTP em ambos os casos). A velocidade máxima de ambos os modelos de tração integral é de 260 km/h.

O Taycan é o primeiro veículo de produção com uma voltagem de 800 volts, ao invés dos habituais 400 volts para automóveis elétricos. Em apenas cinco minutos, a bateria pode ser recarregada através de corrente contínua (DC) a partir das estações de carregamento da rede de alta potência para uma autonomia até 100 quilómetros (de acordo com o ciclo WLTP).

O tempo para carregamento de cinco a 80 por cento SoC (state of charge) é de 22,5 minutos, em condições ideais de carregamento, e a potência máxima de carregamento (pico) é de 270 kW. A capacidade da Bateria Performance Plus é de 93,4 kWh. Em casa pode ser carregado até onze kW em corrente alternada (AC).

O Taycan possui quatro modos de condução: Range, Normal, Sport e Sport Plus. O primeiro valoriza a eficiência, com a velocidade máxima limitada a entre 90 e 140 km/h, e é ativada a configuração de tração mais eficiente.

Quanto vai custar?
Ainda não se sabe. A Porsche já disse que o Taycan terá "preço de um Panamera básico", o que o posicionará em torno dos 120 mil euros, acima do valor do Tesla Model S, o seu principal concorrente.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Teste ao Usado. Mercedes-Benz CLA Shooting Brake 180d AMG: Fazer tudo bem não é para todos...
Peugeot 508 2.0 HDi 160cv GT Line: Grande 'espada'