BMW diz que os motores Diesel vão durar, pelo menos, mais 20 anos

Ainda assim, alguns motores a gasóleo têm os dias contados. É o caso do 1.5 Diesel do 116d

0 aos 100 27/06/2019 Noticias

Numa altura em que muitos anunciem a “morte” dos motores Diesel, a BMW voltou a reafirmar a defesa dos motores de combustão, prevendo que os motores a gasóleo “durem”, pelo menos, mais 20 anos, enquanto os motores a gasolina durem, pelo menos, mais 30 anos.

O patrão do departamento de Pesquisa e Desenvolvimento da BMW, Klaus Frolich, não concorda com a ideia do fim dos motores de combustão, pelo menos para já. “Na melhor das hipóteses, em 2025 cerca de 30% das nossas vendas serão veículos eletrificados (modelos elétricos e híbridos plug-in), ora isto significa que, pelo menos, 80% dos nossos veículos terão um motor de combustão interna”, afirmou à margem do evento #NEXTGen em Munique.

O cenário otimista é justificado com o facto de muitas regiões não terem qualquer tipo de infraestrutura que permita recarregar automóveis elétricos. “Vemos áreas sem uma infraestrutura de recarga, como a Rússia, o Médio Oriente e o interior da região ocidental da China e todos eles terão de recorrer a motores a gasolina por mais 10 a 15 anos”, apontou.

Veja ainda:

“A mudança para a eletrificação é exageradamente anunciada. Veículos elétricos a baterias custam mais em termos de matérias-primas para as baterias. Isto vai continuar e pode eventualmente piorar ao mesmo tempo que a procura por estas matérias-primas aumenta”, acrescentou.

O responsável da BMW acredita que os políticos Europeus gostam de falar mal do diesel, mas “um motor diesel moderno é uma solução muito boa. Principalmente para veículos pesados e de alto desempenho”.

Ainda assim, mesmo que os motores de combustão não sejam extintos a qualquer momento, a BMW pretende reduzir a oferta de motorizações. É o caso do 1.5 de três cilindros a gasóleo (116d, 216d, etc), pois o custo de o colocar em conformidade com as normas anti-emissões europeias é demasiado elevado.

"Além disso, o potente seis cilindros a gasóleo, com quatro turbos, oferecido no M50d e X5 50d também não terá mais evoluções por ser complexo tecnicamente e, por consequência, caro de produzir”, informou Froelich. Quanto aos motores a gasolina, o V12 terá o mesmo destino.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Teste ao Usado. Mercedes-Benz CLA Shooting Brake 180d AMG: Fazer tudo bem não é para todos...
Peugeot 508 2.0 HDi 160cv GT Line: Grande 'espada'