Mustang Shelby GT500 é o carro de estrada mais potente de sempre da Ford... com 771cv e 847 Nm!

V8 mais 'explosivo' alguma vez fabricado pela Ford Performance recebe o nome de 'Predator' e debita algo como 771cv

0 aos 100 23/06/2019 Noticias

É oficial: o novo Mustang Shelby GT500 tem 771cv e 847 Nm, o que faz dele o Mustang (e o Ford) mais potente de sempre, superando mesmo o poder de fogo do superdesportivo Ford GT (655cv).

A origem de toda esta cavalagem é o V8 de 5,2 litros, o mesmo V8 'Voodoo' atmosférico do GT350, embora aqui sobrealimentado por um compressor volumétrico Eaton de 2,65 litros que recebe o nome de 'Predator', e que permite o acréscimo de quase 240cv.

Está ligado a uma caixa automática de dupla embraiagem da Tremec, com 7 velocidades, enquanto a suspensão é uma MagneRide com amortecedores adaptativos e sistema de travagem Brembo. Anuncia uma aceleração dos 0 aos 100 km/h em cerca de 3,5 segundos e uma velocidade máxima limitada eletronicamente a “apenas” 290 km/h.

Veja ainda:

A potência de 771cv, de resto, coloca-o à frente dos seus concorrentes: mais 112cv que o Chevrolet Camaro ZL1 1LE e o seu V8 de 6,2 litros de 659cv, assim como 54cv mais que o poderoso Dodge Challenger Hellcat, que se conforma con 717cv do seu V8 com compressor, e ate mais 16cv que o Chevrolet Corvette ZR1 de 755cv.

Ainda assim, não é tão selvagem quanto o Dodge Challenger Hellcat Redeye (808cv) ou o Demon (852cv).

Estarão disponíveis dois pacotes em opção. O primeiro, designado ‘Handling’ vai garantir elementos aerodinâmicos como um spoiler com o ‘gurney flap’, mas não consegue sequer roçar o extremismo do pack ‘Carbon’.

O nome indica a inclusão de mais elementos em fibra de carbono. É o caso da asa oriunda do Mustang GT4 e o splitter integrado com lâminas (‘wickers’) nas pontas, mas não só. As jantes de 19” são substituídas por outras com 20” em carbono e a eliminação dos bancos traseiros.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

DS 3 Crossback BlueHDi 100. A virtude de ser diferente
Ensaio ao Renault Clio RS Line TCe 130 EDC: Faceta desportiva