Miguel Oliveira explica atraso nas primeiras voltas: 'Acabei por me ver envolvido num incidente na curva 10'

Português terminou Grande Prémio da Catalunha na 12.ª posição

0 aos 100 16/06/2019 Desporto

Miguel Oliveira conseguiu o segundo melhor resultado de sempre de um português no Mundial de MotoGP, ao terminar o Grande Prémio da Catalunha no 12.º lugar, somando quatro pontos.

O piloto português, que já tinha sido 11.º na Argentina, este ano, terminou a sétima prova do campeonato a 44,666 segundos do vencedor, o espanhol Marc Márquez (Honda), que correu isolado na frente desde a segunda das 24 voltas previstas.

Foi precisamente na segunda volta ao traçado catalão de Montmeló que o espanhol Jorge Lorenzo (Honda) caiu na curva 10 quando estava na terceira posição, arrastando consigo o italiano Andrea Dovizioso (Ducati), o compatriota Maverick Viñales (Yamaha) e o italiano Valentino Rossi (Yamaha).

De uma assentada, Márquez ficou sozinho na frente da corrida e com a principal oposição por terra.

Desse facto beneficiou também Miguel Oliveira, que foi ganhando posições na classificação à medida que outros pilotos iam caindo, como aconteceu, pouco depois, com o britânico Cal Crutchlow (Honda).

Um outro incidente, na mesma curva 10, atrasou o piloto luso.

"Foi uma corrida difícil, tal como previsto. Comecei bem, recuperei várias posições até chegar à curva 10, onde o [britânico Bradley] Smith [Aprilia] derrubou o [espanhol] Aleix Espargaró [Aprilia]. Tive de sair muito por fora para os evitar e, com isso, perdi algum tempo. Fiquei em último e precisei de algumas voltas para recuperar", explicou Oliveira.

"Estava sozinho e sem referências de ninguém. Por isso, decidi simplesmente terminar a corrida. Não tinha ninguém com quem lutar pelo que fiz a minha corrida e terminei nos pontos, que era o objetivo", concluiu.

Ao todo, abandonaram 11 dos 24 pilotos à partida, incluindo o malaio Hafyizh Syahrin, companheiro de equipa do piloto de Almada na Tech3, com o motor partido.

Veja ainda:

O português, que correu com pneus médios na sua KTM, andou sempre na cauda do pelotão, mas conseguiu levar a sua mota até à bandeirada de xadrez, sendo o penúltimo dos que concluíram a prova.

Ainda assim, somou quatro pontos, ascendendo de 19.º a 17.º do Mundial de MotoGP, agora com 12 pontos.

Marc Márquez confirmou, também, a quarta vitória da temporada, 48.ª da carreira em MotoGP, e cimentou a liderança, cavando um fosso de 37 pontos para o segundo. O espanhol tem 140 pontos, contra os 103 de Andrea Dovizioso.

O francês Fabio Quartararo (Yamaha), que saiu da 'pole position', terminou na segunda posição, a 2,660 segundos de Márquez, com o italiano Danilo Petrucci (Ducati) a fechar o pódio, a 4,537 segundos.

O próximo grande prémio disputa-se na 'catedral' do motociclismo, em Assen, na Holanda, a 30 de junho.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Teste ao Usado. Mercedes-Benz CLA Shooting Brake 180d AMG: Fazer tudo bem não é para todos...
Teste ao Usado: BMW 520d Touring. Elegância é isto!